sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Entrevista

A convidada desta semana é

Cirinéia Iolanda Maffei


Nasceu em Piracicaba (SP). Quando criança, frequentou as aulas de Evangelização da União Espírita de sua cidade natal. Em 1973, casou-se, mudando para a cidade de Porecatu (PR), onde reside atualmente. Em 1987 retornou ao Espiritismo, na União Espírita Cairbar Schutel de Porecatu, participando de reuniões mediúnicas, palestras e direção dos departamentos assistenciais Albergue Noturno, Casa Infantil Maria Helena e Casa do Pão. Formada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, atuou no departamento de Serviço Social da Usina Central do Paraná e da Fazenda São Paulo, ingressando finalmente, no ano de 1982, através de concurso público, na Carreira Administrativa do Banco do Brasil, onde se aposentou, passando então a dedicar-se inteiramente ao Espiritismo. Em 2000, fundou o Grupo de Estudos Espíritas Cairbar Schutel. Dirige atualmente a Clínica Veterinária Francisco de Assis, ONG destinada ao atendimento de animais abandonados e pertencentes a famílias carentes. Médium psicofônica, psicógrafa, palestrante espírita.

 
Livros publicados
  • Mulheres Fascinantes, pelo Espírito Léon Tolstoi;
  • Homens Notáveis, pelo Espírito Léon Tolstoi;
  • A Arte de Recomeçar, pelo Espírito Léon Tolstoi;
  • Retratos de Nazaré, pelo Espírito Léon Tolstoi;
  • Camélias de Luz, pelo Espírito Antonio Frederico;
  • Joana, pelo Espírito Lucien.



*     *     *


EspiritualMenteComo você conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina atualmente em sua vida?

CirinéiaO primeiro contacto com o Espiritismo ocorreu quando criança. Meu avô paterno, imigrante italiano, proprietário de um pequeno sítio na região rural de Rio Claro (SP), resolveu mudar para a cidade de Piracicaba (SP), e aqueles que seriam meus pais o acompanharam. Imagine um lavrador procurando emprego em cidade grande! Finalmente foi contratado como zelador da União Espírita Municipal de Piracicaba, para onde se mudou, ocupando uma casinha nos fundos. Lembro-me dele passando pano no salão, colocando flores, que ele mesmo plantava, nos vasos... E de minha avó “quarando” as toalhas brancas das mesas de reuniões na grama em frente à sua porta, colocando o café com bolinhos para os médiuns... Minha mãe, a dona Rosinha, levava-nos ao passe toda semana, à tarde, e nosso médico era espiritual... As farmácias vendiam os medicamentos por ele receitados sem qualquer contestação... Conhecer o Espiritismo, na verdadeira acepção da palavra, ocorreu muito mais tarde, quando já estava residindo no Paraná, com dois filhos pequenos e sem seguir religião alguma, sequer me lembrava de fazer uma oração. Foi então que surgiu um problema de saúde que nenhum médico conseguia detectar, vivia sob analgésicos...  Finalmente me lembrei dos médicos espirituais e busquei ajuda em uma casa espírita a 80 km de onde resido, onde o Dr. Fritz me deu o ultimato: vá estudar, exercer sua mediunidade, praticar a caridade... A “cura” se estendeu por quatro anos, após os quais pude me considerar espírita verdadeiramente. Hoje, não consigo imaginar a existência sem a Doutrina, sem a parceria com os Espíritos, sem o Mestre. 

 

EspiritualMenteComo você vê na atualidade o trabalho de divulgação da Doutrina realizada pelo movimento espírita? Qual a maior dificuldade?

CirinéiaPenso que as coisas seguem o rumo adequado, no momento certo, cabendo-nos fazer a nossa parte. Em termos de doutrina, cada um detém um sistema de crenças e valores que não se modifica de uma hora para a outra...  E como poderíamos definir movimento espírita com exatidão? Existe o que se divulga e o que é desenvolvido pelos trabalhadores do Mestre anonimamente... Dificuldades na divulgação da Doutrina? Nesses anos de trabalho, aprendi que cada um somente oferta aquilo que tem, o que amealhou em sua trajetória evolutiva... Nem sempre a pessoa está pronta para aceitar a doutrina espírita. O maior problema consiste em esperar demais do outro, em acalentar expectativas, em achar que a doutrina é algo que se assimila a toque de caixa. Foram necessários quatro anos para a “dor” que eu sentia desaparecer e isso somente ocorreu porque efetuei mudanças, reformas íntimas que possibilitaram isto.  Nesse intervalo, desisti muitas vezes, cometi erros doutrinários, procurei caminhos mais fáceis, retornei vezes inúmeras, aprendi a lidar com os obsessores do passado e a considerá-los irmãos, tão falhos e necessitados de amor e compreensão como eu...  E a caminhada continua! Quando me pego em atitude crítica, achando dificuldade em fazer o outro “entender” a Doutrina e “segui-la à risca”, um sininho interior me remete àqueles anos iniciais e me acalmo na hora...



EspiritualMenteVocê publicou os livros "Mulheres Fascinantes" e "Homens Notáveis", todos pelo Espírito Léon Tolstoi. Nos dias atuais, é difícil para uma pessoa se tornar fascinante e notável à luz do Evangelho? Quais os maiores desafios?

CirinéiaFascinante e notável... Quem não quer ser assim considerado? Ainda somos suficientemente orgulhosos e vaidosos para desejar tal reconhecimento, faz parte de nosso momento evolutivo.  As mulheres e homens dos contos realmente existiram, foram divulgadores da boa nova do Mestre, incentivaram mudanças na vida de muitos e tudo ANONIMAMENTE! Se não fosse Léon, desconheceríamos suas histórias... Mas será que Jesus se esqueceria deles somente por não haver um registro formal de suas atividades em nosso planeta? Suas trajetórias falam de reforma íntima através dos séculos, de perseverança, de luta diária para a superação dos entraves. Aliás, no final de cada um dos contos dos quatro livros de Tolstoi, encontramos o depoimento de um dos personagens da narrativa e são incríveis, atestando o mecanismo de superação ao longo dos séculos. Até hoje, quando leio algum dos contos para efetuar palestras, acabo chorando, pois me identifico com os personagens e me sensibilizo com a beleza da evolução. Não há nada de difícil em ser fascinante ou notável, todos nós o somos diariamente, quando trabalhamos para manter e educar uma família, quando ministramos um passe com amor, quando recebemos o irmão em sofrimento na mesa mediúnica, doando nossas energias, aceitando enfrentar eventuais indisposições após os trabalhos...   Desafios? Acho que tudo se centraliza no egoísmo... Ainda! Temos dificuldade em colocar o bem-estar do outro à frente do nosso querer... 



EspiritualMenteSem dúvida, o gênero literário espírita é um dos maiores do mercado brasileiro. Qual sua opinião a respeito da atual literatura espírita? Existe mais quantidade ou qualidade?

CirinéiaVamos principiar falando em gênero literário, de uma maneira mais ampla...  Em todos as épocas, existiram obras de qualidade e obras péssimas. No entanto, o tempo sempre se constituiu no justo censor, separando o joio do trigo... O fato de os livros espíritas merecerem tamanha atenção, a ponto de despertarem interesses menos dignos, que desconsideram a qualidade literária, ainda assim não constitui algo totalmente maléfico ou inesperado pela Espiritualidade . Pessoalmente, já vi muita gente chegar à casa espírita através da leitura de livros de qualidade questionável, tipo “água com açúcar”, interessar-se pela doutrina e passar a estudar as obras de Kardec, auferindo conhecimentos que lhe permitiram mudar suas preferências, optando naturalmente por obras melhores. Por outro lado, grande parte do volume das publicações direciona-se aos clubes espíritas do livro, daí a importância da formação doutrinária dos espíritas responsáveis pela seleção.  Além disso, boas editoras costumam prezar pela qualidade, analisando cuidadosamente o conteúdo e até mesmo o autor encarnado, psicógrafo ou não, merecendo que as priorizemos na hora da compra de livros. 
  

EspiritualMente Muitas pessoas acham que recomeçar é uma perda de tempo, que dá trabalho, que esta atitude é voltar a "estaca zero". Preferem seguir adiante com suas angústias e problemas a ter que mudar de vida, fazer algo diferente. Recomeçar é realmente uma arte? O que você falaria para uma pessoa que está com receio de começar de novo?

CirinéiaExiste um livro de Tolstoi  justamente com o título "Arte de Recomeçar", enfocando a reencarnação como mecanismo da reforma íntima. No quesito recomeço agora, acredito que não basta a pessoa querer recomeçar simplesmente, pois é preciso saber como fazer isso. Em minhas palestras da Casa, costumo brincar dizendo que a pessoa acha que recomeça, mas somente muda a direção de seu olhar ou o cenário. E acontece tudo de novo! Sai de um relacionamento, sofre, arruma outro e, surpresa!... Depois dos primeiros arroubos de encantamento, o príncipe ou a princesa encantados se transformam em sapo! Poucos param, voltam-se para si mesmos e analisam friamente as causas das decepções, pois dói muito entrar em contacto com a realidade, maltrata nosso orgulho, nossa vaidade. Autoconhecer-se requer muita coragem! Muitos consideram melhor seguir em frente carregando as angústias e problemas ou tentar de novo às cegas. Sou defensora do Evangelho, dos passes, da água fluidificada, mas acredito também em atendimento psicológico, em que a pessoa se abre e é auxiliada a se descobrir, a achar o caminho, que muitas vezes não é muito diferente daquele que ela tem percorrido, tratando-se somente de uma nova visão dos fatos e de si mesma. Nossa casa espírita dispõe de um atendimento nesta linha e o resultado é incrível! Para a pessoa que está com medo de começar de novo eu diria que esse medo sinaliza a possibilidade de um caminho às cegas. Somente tememos o que desconhecemos...  Você sabe realmente o que deseja e o porquê de seus infortúnios? E, para aqueles que justificarem tudo como resgate ou o famoso carma, questiono: será mesmo? Ou você está simplificando, esquivando-se das mudanças, evitando olhar dentro de si mesmo?


EspiritualMenteDe todos os livros psicografados por você, qual foi aquele que mais mexeu com os seus sentimentos? Por que?

Cirinéia - Livros são como filhos! Somos um pouco donos deles, mesmo quando psicografados. Amamos a todos. A convivência com Léon por três anos foi incrível, muitas vezes molhei o papel com minhas lágrimas, sentindo-me como se estivesse naquela época com Jesus, participando das narrativas. No livro "Joana", o mais recente, o autor Lucien conduziu-me pelos intrincados caminhos da sexualidade humana, e onde havia dor consegui perceber e entender a perfeição das leis divinas. Quanto ao que mais mexeu com sentimentos, acredito que o eleito seja "Camélias de Luz", pois vivi naquela época, na pele de Beatriz, e muitos dos personagens estão encarnados atualmente, eu os reconheço... Uma de minhas mentoras, justamente a que desenvolve comigo o atendimento psicológico e a terapia com florais, é a Cândida da narrativa...  Tratou-se de uma experiência incrível, passado e presente se misturando! Quando a última palavra foi escrita, fiquei semanas com uma sensação de perda, uma saudade... O livro foi lançado com um jantar dançante para todos os freqüentadores de nossa casa espírita, em torno de cento e  cinquenta pessoas, pedido da própria Cândida.  Tudo muito bonito, muito gostoso... No momento em que adentrei o salão, senti-me estranha, como se não fosse eu... Sentia-me Beatriz! Passou somente quando voltei para casa... Algumas pessoas notaram algo, comentando comigo depois. Quando olhei as fotos, acreditem, eu ainda achava possível ver Beatriz! Nem pensar!


EspiritualMente O que você tem aprendido após tantos anos de trabalho em grupos espíritas? Qual sua filosofia de vida?

CirinéiaAprendi a aceitar minhas limitações, a ser grata aos amigos espirituais, a prosseguir dia após dia, sem desistir, procurando melhorar um pouquinho mais.  Nada na vida tem caráter estático, tudo muda, e nós também estamos em constante evolução. Tudo conspira a nosso favor, nós é que ainda não conseguimos entender esta grande verdade, vendo somente o hoje, ainda incapazes de perceber nosso futuro.  Mas não adianta bater o pé, teimar, negar-se a evoluir... Temos em nós a centelha divina e nada poderá nos deter, nem nós mesmos.


EspiritualMente Quais suas perspectivas sobre a atualidade e o futuro do Brasil e do mundo? Você acha que o nosso país está no rumo certo? 

CirinéiaAcredito que estes são tempos difíceis, em razão principalmente da fase de transição de nosso planeta. Mais do que nunca precisamos de serenidade, pois somente temos o poder de efetuar mudanças em nós mesmos. Quando muito poderemos esclarecer, orientar, aconselhar, mas cabe a cada um a grande tarefa da mudança dos próprios sentimentos. Jesus, o governador de nosso planeta, sabe muito bem cuidar de nós, e as preocupações, na maior parte das vezes, têm a ver com nosso corpo físico, com as coisas materiais. Prossigamos nas nossas tarefas diárias com amor e tudo estará no caminho certo.   


EspiritualMenteQuais seus projetos no movimento espírita para 2015?

CirinéiaAcredito que os projetos relacionados à doutrina tenham tudo a ver com os mentores da Casa e muito pouco comigo, pois sou somente um instrumento. Gentis e educados que são, certamente me consultam, respeitando-me o livre-arbítrio... Cabe a mim trabalhar e estudar, para que tudo saia a contento. Sei que surgirá um novo livro, sequencial ao de nome Joana, lançado no final de 2014. São três livros ao todo, abordando a complexa questão da sexualidade humana sob diversos aspectos.  No mais, tudo prosseguirá, aperfeiçoando-se cada vez mais: mesa mediúnica, passes, atendimento psicológico, terapia com florais, atendimento com o Dr. Bezerra de Menezes, palestras, preparação de novos trabalhadores, o trabalho em nossa clínica veterinária beneficente... 


EspiritualMenteQue mensagem você deixa para os colaboradores, seguidores e visitantes do nosso projeto? 

CirinéiaInicialmente, apreciaria congratular-me com todos por estarem navegando pelo EspiritualMente, um órgão divulgador de tamanha qualidade. Depois, vou confessar que os escritores são eles, os Espíritos, e que tenho uma grande dificuldade em lidar com mensagens que devem ser repletas de palavras bonitas, inspiradoras, o que me leva a simplificar... Certa vez, questionei o fato de o Dr. Bezerra de Menezes haver me escolhido para o trabalho de cura espiritual, tão imperfeita me considero, e sua resposta foi gentil e precisa, dizendo que eu tinha uma qualidade importantíssima: a disponibilidade em servir. Acertou em cheio! Esta é a condição primordial, sem a qual todo e qualquer trabalho se inviabiliza. Aliada à disciplina, transforma a existência das criaturas, tornando-as aptas a serem mensageiras do Mestre, semeadoras em Sua Searade Luz. Sem estrelismos, com humildade. Assim sendo, prossigamos, servindo e aprendendo a amar.  


*     *     *

O projeto EspiritualMente agradece a Cirinéia Iolanda Maffei pela gentileza em conceder esta bela e inspiradora entrevista.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestões, críticas ou elogios! Fique à vontade!