quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Entrevista: Juliana Cunha



Juliana Cunha


É cofundadora do Coração de Luz, terapeuta energética, com formação em Fitoenergética, Mestre de Reiki Usui, da Chama Violeta e da Chama Cristalina e terapeuta de Cura Energética/Leitura da Aura. É facilitadora de cursos de Reiki, vivências em grupo e coordenadora do Reiki Solidário no Horizonte Desenvolvimento Humano.
https://www.facebook.com/espacocoracaodeluz
Local de atendimento:
Horizonte Desenvolvimento Humano
Rua Joaquim Xavier de Andrade, nº 117, Poço da Panela, Recife/PE

Contatos:
(81) 99946-5556 (TIM/WhatsApp)
coracaodeluz@outlook.com


*        *        *


EspiritualMente - Como é a sua relação com a religião e a espiritualidade?

Juliana - Por muito tempo, estivemos desconectados da nossa verdadeira natureza, que é de sermos seres divinos. Criamos uma grande ilusão de separação entre matéria e espírito. E com isso, acreditamos que há basicamente dois caminhos a seguir: ou o da matéria ou o da espiritualidade. Entendemos que viver a espiritualidade é algo separado do dia a dia, é algo que só pode ser vivido nas religiões ou nos templos. Porém, somos seres espirituais experienciando a matéria. Não há como separar. A espiritualidade deve ser vivida a cada momento, a cada inspiração-expiração. E o nosso maior templo deve ser nosso coração. O nosso coração é uma câmara secreta, que nos conecta diretamente com o nosso Eu Superior. E seja qual for a religião ou a filosofia de vida que seguir, o Amor deve ser a base de tudo. O Amor a todos os seres, ao Criador, a toda a sua criação e, claro, o Amor a si mesmo. E o despertar desse Amor, se dá a partir dessa conexão profunda com o nosso coração/Eu Superior/mestre interior. A espiritualidade para mim então, é reconhecer tudo e todos como uma criação divina, e que, por esse motivo, merecem respeito e amor. Viver a espiritualidade não é só orar, meditar, ir a uma igreja ou fazer alguma caridade. A vivência da espiritualidade é também tratar os outros, seja quem for, com respeito e compaixão, é realizar seu trabalho com cuidado e amor, fazer sempre o seu melhor, é cuidar do planeta em que vivemos. Viver a espiritualidade é também seguir um caminho de autoconhecimento e evolução interior, para que possamos nos reconectar a nossa essência divina, e sermos quem verdadeiramente somos. E por fim, viver a espiritualidade é viver o nosso propósito divino, nos colocarmos a serviço de Deus, colocar os nossos dons e talentos a serviço da Vida, a serviço do Bem Maior.

EspiritualMente - Você é Terapeuta Energética. Em que consiste este tipo de terapia? Quais os seus benefícios?

Juliana - Tudo em nós é energia. O que acontece conosco nessa vida e em outras vidas, situações, memórias, nossos pensamentos, sentimentos, emoções, crenças, comportamentos, bloqueios, resistências, enfim, tudo fica registrado em nosso campo energético, que é nossa aura. E esse pacote de registros/informações compõe o nosso padrão de frequência energética, determinando a forma como vibramos e consequentemente, como criamos a nossa realidade. As terapias energéticas têm como principal função elevar o padrão vibracional da pessoa, limpando, purificando, desbloqueando e transmutando as energias densas, resultantes dos padrões de pensamentos, sentimentos, emoções e crenças negativos e transformando em padrões mais positivos. Trazendo mais equilíbrio e harmonia para a pessoa, ativando seu potencial de autocura e trazendo mais clareza e consciência sobre sua própria vida. A Cura Energética, por exemplo, é uma técnica de cura quântica, em que o terapeuta faz uma leitura das dinâmicas energéticas que estão presentes na aura da pessoa, trazendo à consciência os sentimentos, bloqueios, resistências, comportamentos repetitivos, padrões de crenças limitantes e personalidades ressonantes que estão criando os problemas físicos, emocionais, mentais e espirituais. E consequentemente, as situações negativas em que ela está vivendo, profissionais, financeiras, de relacionamentos afetivos, familiares, etc. De acordo com a necessidade de cada um, durante a sessão, são feitos tratamentos energéticos profundos e específicos. A partir dessa visão mais clara de si mesma e das situações em que está vivendo e com todo o tratamento energético que a pessoa recebe durante a sessão, abre-se um campo de possibilidades de curas e de muitas mudanças positivas na sua vida. É uma ferramenta que dá a pessoa uma oportunidade de agir diferente e criar uma realidade bem melhor para si mesma.

EspiritualMente - A partir de que momento ou situação recomenda-se ao paciente a Terapia Energética? Qualquer pessoa pode se submeter a este processo?

Juliana - Normalmente, a busca por esse tipo de tratamento acontece quando se está em alguma crise, seja no aspecto físico, com alguma doença, seja no aspecto mental ou emocional. Porém, as Terapias Energéticas além de auxiliar nos processos de cura, são também excelentes para o autoconhecimento e para a prevenção do surgimento de novas doenças, ou de situações indesejadas. Então, esse tipo de tratamento é recomendado em qualquer momento/situação em que a pessoa esteja vivendo. Assim como, qualquer pessoa pode receber seus benefícios.


EspiritualMente - Esta terapia é mais indicada para problemas psicológicos ou físicos?

Juliana - As terapias energéticas, seja o Reiki, a Cura Energética, a Fitoenergética, entre outras, são técnicas de cura holísticas, que tratam o ser de forma integral. Na visão holística, para que haja a verdadeira cura, é necessário tratar todos os aspectos do ser: físicos, emocionais, mentais e espirituais, pois tudo está conectado. Nessas terapias que trabalho, buscamos tratar a origem das doenças e dos problemas em que a pessoa está vivenciando, que normalmente estão nos campos mais sutis e refletem no físico. Por esse motivo, são recomendadas para ambos os casos, tanto os psicológicos, quanto físicos. 


EspiritualMente - Como está sendo a procura pelas terapias alternativas como o Reiki, a Cura Energética etc. aqui no Recife? Você tem um perfil do público interessado nestes tratamentos, no que se refere, por exemplo, a idade, sexo e religião?

Juliana - A procura não só para receber os tratamentos, como também para os cursos de Reiki estão em crescimento. Na medida em que o planeta está em processo de ascensão, muitos estão sendo despertados para a busca da sua própria cura e crescimento espiritual. Meu público, em geral, são mulheres jovens que, de certa forma, acabam sendo um ponto de mudança para os que estão ao seu redor. Quando a gente cura o nosso interior, essa cura vai reverberando para os mais próximos. É como jogar uma pedra num lago, onde as ondas que se formam vão se expandindo. 


EspiritualMente - "Mente sã, corpo são". Sabemos que muitas doenças podem nascer ou ser agravadas de acordo com o nosso estado emocional ou psicológico. Que atitudes e hábitos você recomendaria para termos uma mente saudável?

Juliana - Práticas como meditação, respiração consciente e o contato com a natureza são fundamentais para nos mantermos em equilíbrio. Assim como também o autoconhecimento e a auto-observação. Observarmos nossos pensamentos, sentimentos e emoções, a fim de neutralizá-los ou dissolvê-los e substituir por pensamentos, sentimentos e emoções positivos é também uma atitude que irá auxiliar a nos mantermos em harmonia e saudáveis. Receber tratamentos energéticos também ajuda bastante a dar um start no processo da criação de um padrão energético mais saudável e equilibrado, e as práticas citadas acima ajudam a manter esse padrão. Uma outra recomendação é receber a iniciação no Reiki. Ser um reikiano é um excelente caminho de autoconhecimento, amor, cura e evolução. Realizar a autoaplicação diariamente nos permite mantermos em equilíbrio e harmonia, potencializando a cura interior e promovendo muitas mudanças positivas em nossa vida.


EspiritualMente - Como você vê o momento atual da área da saúde em nosso país? Estamos no rumo certo?

Juliana - A medicina alopática tem evoluído muito em tecnologia, porém ela deixa um vazio na medida em que trata o homem como uma máquina biológica, reparando apenas os seus sintomas. As terapias holísticas, por sua vez, têm uma visão mais completa do Ser, vai buscar a origem das doenças, trazendo uma cura mais efetiva, na sua raiz. Por sua visão mais ampla e também pelo fato de serem mais naturais, sem efeitos colaterais, estão se expandindo cada vez mais. É preciso entender, porém, que uma não deve anular a outra e, sim, se integrarem, se complementarem. E, felizmente, aos poucos isso vem acontecendo. O Reiki, assim como diversas outras práticas, por exemplo, ter sido incluído nas práticas integrativas e complementares do SUS, é um grande ganho para a população. Ainda há muito o que fazer, o sistema de saúde pública está em crise, não tem sido nada eficiente. Entretanto, sob o aspecto da integração com práticas complementares e preventivas, acredito que esse é o caminho. Tornando o sistema de saúde mais eficiente e amplificando as práticas integrativas complementares e medidas preventivas trará uma mudança muito positiva não só na área da saúde, mas no bem-estar e evolução em geral da população. 


EspiritualMente - Que mensagem você deixa para os visitantes, seguidores e colaboradores do nosso blog?

Juliana - Uma mensagem que gostaria de deixar é que devemos estar sempre com a mente e o coração abertos. Muitas vezes nos apegamos a padrões limitantes que geram sofrimentos desnecessários. Os Mestres ascencionados têm nos ensinado que esse é um momento de muita Luz e Amor. E que podemos aprender e evoluir não mais pela dor ou sofrimento e, sim, pela consciência e pelo Amor.  O Amor é compassivo, o Amor cura, liberta e transforma. O Amor deve ser a base de tudo. Deus é Amor. Nós somos Amor. Somos seres divinos, e é um direito natural sermos saudáveis, prósperos e felizes. Confiemos nisso, sejamos isso e assim será. Namastê!


*        *        *

Agradecemos a Juliana Cunha por ter concedido esta bela e informativa entrevista!



quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Editorial nº 02

Muito mais que um blog, o EspiritualMente - Reflexões à Luz do Espiritismo é um projeto de divulgação de ensinamentos cristãos que incentiva a reflexão, a reforma íntima, a prática do bem e a aquisição de bons valores morais e espirituais.

Gostamos sempre de frisar que o nosso principal diferencial está na maneira que abordamos o Espiritismo, onde buscamos a essência da Doutrina em diversas fontes, algumas até não consideradas oficialmente espíritas, como frases, músicas, pensamentos, poemas, vídeos, filmes, livros e outras atividades inspiradoras.

Aliás, acreditamos que tudo nesta existência material pode ser visto, sentido e compreendido sob um olhar espírita.

Nosso blog prestigia também o trabalho de novos talentos na arte da escrita, realiza entrevistas, reportagens, divulga eventos espíritas em qualquer parte do Brasil e do mundo.

Nossa preocupação não é com a quantidade de acessos e de seguidores. Prezamos pela qualidade do trabalho! O conteúdo que publicamos é rigorosamente selecionado para atingir esses objetivos. Qualquer comentário, crítica, sugestão ou se não quiser receber nossos e-mails informativos, pode entrar em contato conosco pelo e-mail:

espiritualmente.blog@gmail.com

Contamos com o apoio de todos os amigos, colaboradores, seguidores e visitantes!

Muita paz e luz!




segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Poemas

Teu nome é sentimento


Teu nome é sentimento
Teu momento é ação
Tua ação é alegria
Tua vida é paixão

Namoras a lua
Flertas com o sol
Percebes o imperceptível
Compreendes o incompreensível
Enxergas além do que se vê
Ouves além do que se escuta
Sem te descuidar da labuta

Teu nome é saudade
Teu nome é amizade
Tua ação é simpatia
Tua vida é sinceridade

Conversas com os pássaros
Acalentas uma flor
Ouves os conselhos das estrelas
Que te ensinam a cultivar o amor

Tua vida é distribuir emoção
A emoção te acompanha em cada momento
Tuas palavras vem do coração
Teu nome é sentimento!


*       *       *


Cheiro de natureza



Você tem uma beleza diferente.

Uma beleza interior, invisível aos olhos daqueles que só veem onde a vista alcança.

Você tem cheiro de flor, de mato verde, de terra molhada.

Você tem cheiro de natureza.

Você tem cheiro de vida.

Vida ainda por viver,
            vida ainda por alcançar,
                    vida ainda por aprender,
                          vida ainda por ensinar.


*       *       *

Almir Paes
Educandário Espírita Joana D'Arc
Recife/PE


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Sugestão de Filme



Ano: 2012

Direção: Gerson Sanginito

Nacionalidade: EUA/Brasil

Gênero: Ficção

Com: Isaiah Washington, Murilo Rosa, Tânia Khalill

Sinopse: Quixadá (CE), 1979. O fazendeiro João Batista (Murilo Rosa) é surpreendido ao ser abduzido por seres extra-terrestres. Ele retorna com poderes, o que faz com que se torne um mito local. Duas décadas depois, o jornalista investigativo Thomas Matthews (Isaiah Washington) chega à cidade. Enviado por um jornal americano para desvendar os relatos de OVNIs na região, Thomas ainda sofre pelo misterioso desaparecimento de seu filho, ocorrido há pouco tempo. Ao entrevistar algumas pessoas abduzidas, Thomas percebe que há fundamento no relato delas e que, de alguma forma, os eventos da região estão ligados ao sumiço de seu filho. 

Comentário: Um filme que mostra a preocupação e as ações dos espíritos superiores em relação ao progresso da humanidade na Terra. 





quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Entrevista: Carmem Paiva de Barros



Carmem Paiva de Barros

É aposentada, casada com o jornalista Carlos Barros há mais de 30 anos, tempo em que se dedicou ao estudo, trabalho assistencialista e divulgação espírita. Foi secretária do CLE de João Pessoa/PB durante 18 anos. Coordenou atividade assistencial em prol dos internos da Colônia de Hansenianos Getúlio Vargas durante 10 anos. Participou por duas décadas das atividades doutrinárias e mediúnicas da União Espírita Diogo de Vasconcelos Lisboa, que acabou fechando e dando lugar ao Centro Espiritualista Renascer, no bairro Costa e Silva, onde atualmente reside na capital paraibana.

Carmem e o seu esposo Carlos Barros


Trabalha como divulgadora espírita, ao lado do marido, colaborando como secretária de Redação da Agência KPC de Notícias Espíritas de João Pessoa, enviando artigos e matérias diversas para sites, blogs, jornais e revistas espíritas. Também é editora-chefe da Revista GentEEspírita.



*       *       *


EspiritualMente - Como a senhora conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina em sua vida?

Carmem - Lendo alguns livros (romances) emprestados por pessoas amigas. Uma dessas pessoas levou-me a uma reunião na Federação Espírita Paraibana e lá fiquei sabendo que tinha mediunidade e precisava "educá-la". O Espiritismo tornou-se importante em minha vida no sentido de dar-me as explicações que cabiam em minhas indagações acerca da existência terrena ser de provas e expiações tão duras e sofridas.


EspiritualMente - Como a senhora observa na atualidade o trabalho de divulgação doutrinária realizada pelo movimento espírita?

Carmem - A divulgação espírita, na atualidade, está caudalosa e matando a sede de conhecimento de milhares de pessoas interessadas em seus aspectos científico, filosófico e religioso-moral.


EspiritualMente - A senhora é editora-chefe da Revista GentEEspírita. Fale um pouco deste trabalho.

Carmem - A revista digital é mais um projeto editorial do Carlos Barros, um dos jornalistas espíritas mais criativos que conheço e com quem estou casada há mais de 30 anos. Estou "editora-chefe" da publicação sob o seu atento espírito perceptivo, principalmente nas sugestões de pautas que recebemos dos amigos colaboradores, espalhados pelo Brasil e no exterior. GENTEESPÍRITA é um espaço de destaque para qualquer trabalhador espírita que tenha algo de bom, útil e verdadeiro para mostrar. Parece que vem agradando a "gregos e troianos" em nosso meio.


EspiritualMente - Quais os desafios ou dificuldades em gerenciar e manter este trabalho da revista?

Carmem - A revista é produzida pela Agência KPC de Notícias Espíritas de João Pessoa, que tem no Carlos Barros seu coordenador geral. Não existe "desafios" ou "dificuldades" para tocar o projeto editorial. Como jornalista experiente, Carlos sabe o que fazer para evitar problemas e imprevistos de última hora. As pautas são bem elaboradas e as sugestões passam por criteriosa avaliação de alguns colaboradores diretos, também com alguma experiência em jornalismo espírita.


EspiritualMente - De todas as entrevistas ou reportagens realizadas pela GentEEspírita, qual a senhora destacaria que gerou mais repercussão, polêmica ou reflexão para os leitores? Por quê?

Carmem - A entrevista da edição de setembro/outubro com Salomão Jacob Benchaya, presidente do Centro Cultural Espírita de Porto Alegre (CCEPA), ainda está rendendo alguns recados elogiosos e outros nem tantos. Contudo, faz parte do contexto da liberdade de expressão dos nossos leitores, sejam espíritas religiosos ou filosóficos laicos. GENTEESPÍRITA não censura o livre pensar dos seus leitores. Apenas temos o cuidado em publicar aquilo que nos convém como editores responsáveis.


EspiritualMente - O que a senhora mais aprendeu no decorrer de todos esses anos de trabalho ativo no movimento espírita?

Carmem - Com mais de 30 anos de estudo e vivência espírita, continuo aprendendo que devemos respeitar o modo de ser e de viver das pessoas em relação ao nosso conceito filosófico de vida social, profissional e religiosa. Sou uma pessoa conciliadora por natureza. Gosto de viver em paz com todo mundo. Se alguém me agride gratuitamente, silencio e deixo o tempo passar. O tempo que eu confio é o senhor da razão.


EspiritualMente - Quais suas perspectivas sobre a atualidade e o futuro do Brasil e do mundo? Em relação ao nosso país, a senhora acha que estamos no rumo certo?

Carmem - Deixei de votar quando completei 70 anos de vida física. Não é boa a situação política, econômica e social do país. Enquanto os políticos corrompidos pela ambição desmedida permanecerem defendendo seus mandatos a troco de milionárias emendas, sem olhar para trás e dar-se conta do mal que estão fazendo aos seus eleitores, vamos sofrer bastante - principalmente no bolso - com aumento diário, semanal e mensal de luz, combustíveis e na alimentação básica da já tão explorada família brasileira.


EspiritualMente - Que mensagem a senhora deixa para os colaboradores, seguidores e visitantes do nosso blog?

Carmem - Sejamos otimistas e confiemos na Providência Divina, sem descuidar de orar e vigiar para não cairmos nas ardilosas armadilhas da corrupção e de quem já anda corrompido. O mal tem força e poder para desestabilizar qualquer instituição terrena, quando mal administrada pelo homem orgulhoso e egoísta. Agradeço a gentileza de sua atenção com uma espírita idosa, com funções físicas limitadas por um stent e um marca-passo. Obrigada mesmo, Manoel Guimarães! Como diz o meu paciente marido e zeloso cuidador: "Vamos em frente!"


*       *       *


Nós que fazemos o EspiritualMente é que agradecemos muito a senhora, pela disposição e gentileza em conceder esta bela e reflexiva entrevista!


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Bate Papo com Manoel O. Guimarães Jr

Agradeço ao meu amigo Carlos Barros da Agência KPC de Notícias Espíritas e a todos(as) que fazem a Revista GentEEspírita pelo convite e pela oportunidade de participar do Bate Papo!


Segue o link para conferir e compartilhar:


https://drive.google.com/file/d/0BzQlzZ05FbEKemhYN0FpendCaEE/view?usp=sharing




segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Que saudade das boas conversas!



Uma coisa que eu gosto muito de fazer é conversar, trocar ideias, ouvir, aprender, ensinar...

Já conversei com muita gente em minha vida. De Reitores de Universidades a garis de rua.

Com eles aprendi lições bem diferentes. Lições mais intelectivas, lições de sabedoria, de sentimento.

É preciso ser letrado para ter um boa conversa? Claro que não!

Para se falar sobre algo é preciso só estar bem informado sobre o assunto e ter um pouco de sensibilidade. Não é preciso intelectualismo, nem retóricas eternas.

As informações são coletadas de diversas formas. Existem aqueles que leem em mídia impressa. Outros em mídia digital. Os mais simples e menos abastados financeiramente ouvem as informações na maior mídia popular do mundo: o rádio de pilha. Todos têm a possibilidade de estarem bem informados. Todos estão aptos para executar um boa conversa. É só querer.

Um boa conversa alivia as tensões – na troca mútua de informações . Aumenta o nosso conhecimento técnico e de vida. A mais importante função de uma conversa é estreitar, ainda mais, laços de amizade.

Lembrei das conversas que tinha com o Thompson. Ele era um simples vigilante da Engefrio, uma loja de produtos de refrigeração em Recife, mas era muito bem informado, sensível e tinha uma percepção de mundo e de vida bem diferente da minha.

Os ambulantes com quem conversei já tem outra visão de mundo.

Quando fui presidente da Associação de Moradores do Bairro do Prado, conversava muito com aquela gente que morava nos chamados correios de quarto. Elas tem um vida materialmente dura, difícil, mas passam uma felicidade para a gente que dá até inveja.

E aquelas pessoas de interior que nós mantemos boas conversas? Eles são pura sabedoria. Elas têm uma conversa simples, ingênua, sábia.

Quando fiz parte do Conselho Regional de Economia – Corecon/PE - também conversei bastante com o povo de lá. Eram, na sua maioria, intelectuais sem sentimentos e sem conteúdo pragmático de vida.

As conversas de hoje são digitais. Nada contra a tecnologia, pois uso-a muito.

Tenho saudade das boas conversas, dos bons papos, das boas risadas, do olho no olho.

Ontem fui a uma festa de aniversário de criança e não pude conversar com ninguém, pois a música estava muito alta. A alternativa que eu tinha era gritar e mesmo assim não ter a certeza de ser ouvido ou ficar na mesa olhando para os lados ou para cima.

Tenho saudades das reuniões que fazíamos na casa dos amigos. Chegávamos lá de surpresa e cada amigo levava um petisco ou uma bebida. Alguém perguntava: - É aniversário de alguém? Não. Estamos brindando apenas o estreitamento da nossa amizade. Conversávamos até tarde e depois cada um ia para sua casa.

Tenho saudades das conversas que mantinha com papai.

Hoje, as pessoas estão sempre apressadas. Até no final de semana, que geralmente elas não tem trabalho material, conversam com a gente olhando para o relógio e demarcando o tempo para encerrar o papo.

É muito estranho que no mundo de tanta tecnologia, de tantos tablets, notebooks, celulares, as pessoas tem cada vez menos “tempo para conversar”. Onde estão as nossas conversas?

Será que elas estão perdidas em outros tempos?

Eu continuo adorando conversar, bater um bom papo, mas está muito difícil achar com quem.

Talvez seja por isso que o ser humano, mesmo cercado de tanta tecnologia, está sofrendo do grande mal do século XXI: a Solidão!

Vamos, pelo menos, pensar em tudo isso!


Almir Paes
Educandário Espírita Joana D'Arc
Recife/PE


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Música para Refletir



Brincar de viver
(Maria Bethânia)

Quem me chamou
Quem vai querer voltar pro ninho
E redescobrir seu lugar
Pra retornar
E enfrentar o dia-a-dia
Reaprender a sonhar

Você verá que é mesmo assim,
que a história não tem fim
Continua sempre que você responde sim
à sua imaginação
A arte de sorrir cada vez que o mundo diz não

Você verá que a emoção começa agora
Agora é brincar de viver
E não esquecer, ninguém é o centro do universo
Assim é maior o prazer

Você verá que é mesmo assim,
que a história não tem fim
Continua sempre que você responde sim
à sua imaginação
A arte de sorrir cada vez que o mundo diz não

E eu desejo amar todos que eu cruzar pelo meu caminho
Como sou feliz, eu quero ver feliz
Quem andar comigo, vem!



sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Li e Recomendo!



Quem nunca ouviu uma história de casa mal-assombrada? Quem nunca tentou conversar com espíritos por meio de um copo sobre a mesa ou então visitou uma cartomante? Como se vê, o mundo sobrenatural e a preocupação com os mortos estão presentes na nossa vida há muito tempo, e em todas as religiões. Mas de que forma nossos antepassados lidavam com essas crenças? Como isso influenciou nosso atual modo de enxergar o "outro mundo"?

Em Do outro lado, a historiadora Mary del Priore conta a história do sobrenatural em nossa sociedade, principalmente desde fins do século XIX, quando as chamadas "mesas volantes", que permitiam que médiuns conversassem com espíritos, chegaram à Europa e também ao Brasil, abrindo caminho para que Allan Kardec desenvolvesse, na França, o Espiritismo. Tudo isso misturado a cartomantes, videntes, sonâmbulas, endemoninhadas, curandeiros...

Recheada de histórias saborosas e casos pitorescos, a obra é narrada por uma das maiores historiadoras do país, permitindo ao leitor conhecer melhor nosso passado, nosso presente e nossa relação tão especial com o "além".


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Sugestão de Filme


Ano: 2000

Direção: Mimi Leder

Nacionalidade: EUA

Gênero: Drama / Romance

Com: Kevin Spacey, Helen Hunt, Haley Joel Osment

Sinopse: Eugene Simonet (Kevin Spacey), um professor de Estudos Sociais, faz um desafio aos seus alunos em uma de suas aulas: que eles criem algo que possa mudar o mundo. Trevor McKinney (Haley Joel Osment), um de seus alunos e incentivado pelo desafio do professor, cria um novo jogo, chamado "pay it forward", em que a cada favor que recebe você retribui a três outras pessoas. Surpreendentemente, a ideia funciona, ajudando o próprio Eugene a se desvencilhar de segredos do passado e também a mãe de Trevor, Arlene (Helen Hunt), a encontrar um novo sentido em sua vida.

Comentário: Um filme realmente inspirador e que incentiva a realização de boas ações. Não há como mudar o mundo para melhor se não for através do bem, da prática da caridade.




sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Evangelizar é...



Conduzir pelo bom caminho
Estender a mão e buscar
Aquele que está sozinho
Falar de amor e ensinar!

É aconchegar e sentir
O coração apertar
E com doce olhar a sorrir
E o pequenino abraçar!

É mostrar o lado bom da vida
Com base no Mestre Jesus
Que toda criança perdida
Possa encontrar essa luz!

Falar sem rodeios de amor
Com todo aquele que busca
Confiando no Pai de amor
Um ato que não tem custas!

Levar a luz do Evangelho
A todos os pequeninos
Ministrar bons conselhos
Enquanto ainda é menino!


Élia Macedo
Centro Espírita Bezerra de Menezes
Canavieiras - BA



terça-feira, 29 de agosto de 2017

Entrevista: Professor Gláucio Cardoso


Professor Gláucio Cardoso


Nascido em 1976 em Mesquita, município da Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ. Poeta, associado da Associação Brasileira de Artistas Espíritas (ABRARTE) e membro da Companhia Leopoldo Machado de Arte Espírita (CIALEMARTE).

Atualmente é o editor da revista Garimpo - Mensário de Poesia e Espiritualidade. Também é trabalhador do Centro Espírita Estudantes da Verdade (Mesquita-RJ).



Livros publicados:

- Enquanto Clara dormia (Poesia);
- Sopros & outros poemas (Poesia);
- Em defesa de um Teatro Espírita (Ensaio);
- La commedia è finita (Poesia).


 

Contato: http://glauciocardoso.blogspot.com.br/


*       *       *


EspiritualMente - Como você conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina em sua vida?

Gláucio - Conheci o Espiritismo ainda na infância, pois meus pais eram espíritas de longa data, assim como meus avós maternos, tendo me engajado definitivamente na Doutrina em 1988, quando tinha 11 anos. Ela me ajuda a entender porque estou aqui, mostra-me um caminho diferente e é graças a ela que tenho tido a chance de pensar e repensar minha maneira de ser e estar no mundo.


EspiritualMente - Recentemente, completou 01 ano da publicação do Garimpo, uma revista voltada a arte e a poesia espírita. Como surgiu a ideia para a criação desse projeto?

Gláucio - Já fazia algum tempo que vinha pensando em promover ações voltadas para a divulgação da poesia espírita, mas não conseguia atinar exatamente com o que fazer. Foi aí que, ao voltar do 2º Encontro Nacional de Artistas Espíritas (ENARTE), promovido pela ABRARTE em São Paulo em 2016, comecei a delinear um informativo que pusesse em evidência essa poesia, englobando tanto os poemas mediúnicos quanto os poemas dos espíritas. Ao desembarcar no Rio de Janeiro, após 06 horas de viagem, já tinha o boletim praticamente todo rascunhado.


EspiritualMente - Após mais de 01 ano de publicação, que balanço você faz sobre a revista e a aceitação do público com esta temática?

Gláucio - Percebo uma aceitação muito grande por parte do público. Ao longo desse primeiro ano de existência, recebemos muitas mensagens de incentivo e muitos poetas enviaram suas contribuições. Sabemos que há pessoas que por iniciativa própria imprime as edições do Garimpo (que é totalmente eletrônico) e as disponibilizam pela leitura em suas casas espíritas. Isso me leva a arriscar dizer que o Garimpo veio preencher uma lacuna que nem mesmo sabíamos que existia.


EspiritualMente - Muita gente confunde uma poesia espírita com uma mensagem poética de um espírito psicografada por um médium. Outros acham que todo texto poético advém puramente de uma inspiração espiritual. O que você poderia falar a respeito dessas opiniões? O que há de verdadeiro e o que há de equívoco nessas ideias?

Gláucio - Na Revista Espírita, Allan Kardec por diversas vezes publicou poemas tanto obtidos por via mediúnica quanto de adeptos do Espiritismo. A estas duas manifestações poéticas, o codificador deu o nome de Poesia Espírita, o que me levou a concluir que, para ele, este nome deveria abarcar os poemas cujo conteúdo e compromisso com a Doutrina fossem notórios. Recomendo o seminário "Bases Kardequianas para o Estudo da Poesia Espírita" disponível em:


Se toda poesia advém de inspiração espiritual? Se levarmos em conta o que relata André Luiz em "Nos domínios da mediunidade", todas as atividades humanas advém da influência espiritual, afinal o Espírito Verdade já afirmara que "são eles quem vos dirigem". Isso não tira o mérito nem o esforço do poeta que passa longas horas debruçado sobre uma ideia, sobre uma folha em branco, transbordando o que lhe vai na alma para o papel. O assunto me fascina, mas não o levarei muito adiante nestas linhas para não alongar por demais a resposta.


EspiritualMente - Como você vê o trabalho do movimento e das casas espíritas em relação a arte?

Gláucio - Está caminhando, posso até dizer que está bem melhor do que na época em que comecei a trabalhar com arte espírita. Hoje já temos a ABRARTE e as secretarias de arte em diversas federativas, muitas casas espíritas se abrem para as atividades artísticas de uma forma nunca antes vista. Entretanto, ainda vemos que o desconhecimento leva ao preconceito contra determinadas linguagens artísticas, como a dança espírita, e que já existe até mesmo um modismo de se fazer arte que ainda não foi devidamente acompanhado pelo desejo de qualificar essa arte. Mas no geral, é um panorama muito animador.


EspiritualMente - Como professor, qual sua análise sobre o atual momento da educação no Brasil?

Gláucio - É um momento difícil. Vemos que as grandes decisões a respeito dos rumos da educação atendem a interesses de ordem política, mas não pedagógica. Pior: os professores, que são os verdadeiros especialistas em educação, tem sido colocados de fora das discussões a respeito dos rumos da escola brasileira.


EspiritualMente - Como as pessoas interessadas na arte e na poesia espírita podem adquirir ou assinar a Revista Garimpo?

Gláucio - Quem quiser pode receber o Garimpo diretamente em seu e-mail, basta escrever para cialeopoldomachado@gmail.com e solicitar sua assinatura. É totalmente gratuito e distribuído todo segundo sábado de cada mês. Também pode curtir a página do facebook: www.facebook.com/GarimpoPoesia .


EspiritualMente - Que mensagem você deixa aos colaboradores, seguidores e visitantes do nosso blog?

Gláucio - Mantenham-se sempre abertos para a beleza e o conhecimento. A Doutrina Espírita é eminentemente libertária, e não deve ser contaminada por nossos interesses pessoais, muito menos por nossas visões limitadas. Vamos divulga-la em atos e exemplos. Como dizia Leopoldo Machado: O ESPIRITISMO É UMA DOUTRINA DE VIVOS PARA VIVOS!


*       *       *

O EspiritualMente agradece ao Professor Gláucio Cardoso em conceder esta bela e instrutiva entrevista!