quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Entrevista: Carmem Paiva de Barros



Carmem Paiva de Barros

É aposentada, casada com o jornalista Carlos Barros há mais de 30 anos, tempo em que se dedicou ao estudo, trabalho assistencialista e divulgação espírita. Foi secretária do CLE de João Pessoa/PB durante 18 anos. Coordenou atividade assistencial em prol dos internos da Colônia de Hansenianos Getúlio Vargas durante 10 anos. Participou por duas décadas das atividades doutrinárias e mediúnicas da União Espírita Diogo de Vasconcelos Lisboa, que acabou fechando e dando lugar ao Centro Espiritualista Renascer, no bairro Costa e Silva, onde atualmente reside na capital paraibana.

Carmem e o seu esposo Carlos Barros


Trabalha como divulgadora espírita, ao lado do marido, colaborando como secretária de Redação da Agência KPC de Notícias Espíritas de João Pessoa, enviando artigos e matérias diversas para sites, blogs, jornais e revistas espíritas. Também é editora-chefe da Revista GentEEspírita.



*       *       *


EspiritualMente - Como a senhora conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina em sua vida?

Carmem - Lendo alguns livros (romances) emprestados por pessoas amigas. Uma dessas pessoas levou-me a uma reunião na Federação Espírita Paraibana e lá fiquei sabendo que tinha mediunidade e precisava "educá-la". O Espiritismo tornou-se importante em minha vida no sentido de dar-me as explicações que cabiam em minhas indagações acerca da existência terrena ser de provas e expiações tão duras e sofridas.


EspiritualMente - Como a senhora observa na atualidade o trabalho de divulgação doutrinária realizada pelo movimento espírita?

Carmem - A divulgação espírita, na atualidade, está caudalosa e matando a sede de conhecimento de milhares de pessoas interessadas em seus aspectos científico, filosófico e religioso-moral.


EspiritualMente - A senhora é editora-chefe da Revista GentEEspírita. Fale um pouco deste trabalho.

Carmem - A revista digital é mais um projeto editorial do Carlos Barros, um dos jornalistas espíritas mais criativos que conheço e com quem estou casada há mais de 30 anos. Estou "editora-chefe" da publicação sob o seu atento espírito perceptivo, principalmente nas sugestões de pautas que recebemos dos amigos colaboradores, espalhados pelo Brasil e no exterior. GENTEESPÍRITA é um espaço de destaque para qualquer trabalhador espírita que tenha algo de bom, útil e verdadeiro para mostrar. Parece que vem agradando a "gregos e troianos" em nosso meio.


EspiritualMente - Quais os desafios ou dificuldades em gerenciar e manter este trabalho da revista?

Carmem - A revista é produzida pela Agência KPC de Notícias Espíritas de João Pessoa, que tem no Carlos Barros seu coordenador geral. Não existe "desafios" ou "dificuldades" para tocar o projeto editorial. Como jornalista experiente, Carlos sabe o que fazer para evitar problemas e imprevistos de última hora. As pautas são bem elaboradas e as sugestões passam por criteriosa avaliação de alguns colaboradores diretos, também com alguma experiência em jornalismo espírita.


EspiritualMente - De todas as entrevistas ou reportagens realizadas pela GentEEspírita, qual a senhora destacaria que gerou mais repercussão, polêmica ou reflexão para os leitores? Por quê?

Carmem - A entrevista da edição de setembro/outubro com Salomão Jacob Benchaya, presidente do Centro Cultural Espírita de Porto Alegre (CCEPA), ainda está rendendo alguns recados elogiosos e outros nem tantos. Contudo, faz parte do contexto da liberdade de expressão dos nossos leitores, sejam espíritas religiosos ou filosóficos laicos. GENTEESPÍRITA não censura o livre pensar dos seus leitores. Apenas temos o cuidado em publicar aquilo que nos convém como editores responsáveis.


EspiritualMente - O que a senhora mais aprendeu no decorrer de todos esses anos de trabalho ativo no movimento espírita?

Carmem - Com mais de 30 anos de estudo e vivência espírita, continuo aprendendo que devemos respeitar o modo de ser e de viver das pessoas em relação ao nosso conceito filosófico de vida social, profissional e religiosa. Sou uma pessoa conciliadora por natureza. Gosto de viver em paz com todo mundo. Se alguém me agride gratuitamente, silencio e deixo o tempo passar. O tempo que eu confio é o senhor da razão.


EspiritualMente - Quais suas perspectivas sobre a atualidade e o futuro do Brasil e do mundo? Em relação ao nosso país, a senhora acha que estamos no rumo certo?

Carmem - Deixei de votar quando completei 70 anos de vida física. Não é boa a situação política, econômica e social do país. Enquanto os políticos corrompidos pela ambição desmedida permanecerem defendendo seus mandatos a troco de milionárias emendas, sem olhar para trás e dar-se conta do mal que estão fazendo aos seus eleitores, vamos sofrer bastante - principalmente no bolso - com aumento diário, semanal e mensal de luz, combustíveis e na alimentação básica da já tão explorada família brasileira.


EspiritualMente - Que mensagem a senhora deixa para os colaboradores, seguidores e visitantes do nosso blog?

Carmem - Sejamos otimistas e confiemos na Providência Divina, sem descuidar de orar e vigiar para não cairmos nas ardilosas armadilhas da corrupção e de quem já anda corrompido. O mal tem força e poder para desestabilizar qualquer instituição terrena, quando mal administrada pelo homem orgulhoso e egoísta. Agradeço a gentileza de sua atenção com uma espírita idosa, com funções físicas limitadas por um stent e um marca-passo. Obrigada mesmo, Manoel Guimarães! Como diz o meu paciente marido e zeloso cuidador: "Vamos em frente!"


*       *       *


Nós que fazemos o EspiritualMente é que agradecemos muito a senhora, pela disposição e gentileza em conceder esta bela e reflexiva entrevista!


Um comentário:

  1. Excelente entrevista. Gostaria de me silenciar tbm nos momentos q sou injustiçada...mas vou aprender um dia.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!