sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

K-Pax - O caminho da luz

Sugestão de filme no Blog EspiritualMente

Ano: 2001

Direção: Iain Softley

Nacionalidade: EUA

Gênero: Drama / Fantasia

Com: Kevin Spacey, Jeff Bridges, Mary McCormak

Sinopse: Prot (Kevin Spacey) é um homem misterioso, que vive dizendo ter vindo de um planeta chamado K-Pax, distante 1.000 anos-luz da Terra. Por conta disto, ele é internado em um hospício, onde conhece o Dr. Mark Powell (Jeff Bridges), um psiquiatra disposto a provar que ele na verdade sofre de um grave distúrbio de personalidade. Mas as descrições feitas sobre como é a vida em K-Pax, acabam encantando os demais pacientes do hospício, fazendo com que eles queiram ir com Prot quando ele retornar ao seu planeta.

Comentário: Um filme inteligente e emocionante. A principal dúvida é se a personagem principal é ou não um ser de outro planeta. Com isto, o espectador é levado a refletir sobre a vida em mundos superiores, o modo de viver dos seres extraterrestres e, consequentemente, com a própria vida na Terra. Em vários momentos do filme, chegamos a conclusão de que ainda somos muito atrasados moralmente e tecnologicamente perante outras civilizações. Vale muito a pena assistir!





quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Meus velhos Natais

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

Eu esperava o ano todo por esta data mágica, utópica e terna.

Um garoto franzino, de calças curtas e de óculos, mas com a cabeça cheia de todos os sonhos imagináveis.

No velho prédio da Avenida Recife, sentado na janela do meu quarto, sonhava de olhos abertos. Visualizava o campo de futebol, a velha quadra de barro batido, onde o Perimetral jogava e eu fazia meus gols.

Sonhava em pedir ao Papai Noel um jipe de plástico ou uma bola de futebol com a marca "Canarinha". Lembrava também da grande árvore de Natal natural na frente do prédio onde eu e meus amigos conversávamos sobre nossos futuros presentes.

Recordo que escrevi uma carta ao "bom velhinho" relatando que havia me comportando bem e passado de ano na escola mas, claro, sempre omitindo as traquinagens e a criatividade nas brincadeiras na qual eu era mestre.

Na noite de Natal, já tomado banho e vestido com a minha roupa nova passada no ferro, esperei Papai Noel até tarde, mas fui vencido pelo cansaço. Adormeci com todos os sonhos de uma criança feliz.

Acordei logo cedo e fui direto olhar em baixo da cama. Fiquei entusiasmado e agradecido ao bom velhinho pelo jipe que recebi. Fui logo mostrar aos amigos que também me mostraram seus presentes. Ficamos o dia todo nos divertindo.

Lembro-me que nos reunimos e demos um presente a uma criança pobre que morava perto da gente e um perfume a sua mãe. Seus olhos brilharam com uma intensidade nunca vista por nenhum de nós.

Era uma época mais digna, mais feliz e mais terna. Eram Natais fraternos e comunitários.

Hoje, quando acordo, vejo a realidade, a decadência dos sonhos, o desejo íntimo de só consumir, de comprar objetos. Aprecio a coreografia do mercantilismo, o Natal reduzido ao simples ato de TER e muita gente a sacralizar a lógica capitalista.

Vejo as emoções invertidas nos Shoppings Centers da vida. Vitórias se sucedem. Onde estão as derrotas? Ninguém pode perder, ninguém quer perder! A competição inflama o ego idolatrado. A pressa não permite mais ternuras.

Saio pelo mundo e pela vida carregando um misto de saudade e de ilusão. Sinto-me só neste "mundo moderno", com as relações sociais deterioradas e o Capitalismo sem freio.

Sinto saudade da minha infância, das brincadeiras saudáveis, das relações sociais mais dignas.

Onde estão meus velhos Natais?

Precisamos ter um mínimo de tempo para adornar fantasias e cultuar utopias.

Brindemos uma chance a ternura.

Tentemos, pelo menos, deixar vir a nós as crianças que nos habitam.



Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma  


Deseja ler outros textos de Almir Paes? Então clique aqui!



segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Entrevista com cantor espírita Lânio Thomáz

Lânio Thomáz no Blog EspiritualMente
Lânio Thomáz

Nascido em Anápolis/GO, é casado há 12 anos com Silvana. Há 31 anos reside em Luziânia/GO.

É comerciante do ramo alimentício.

Já lançou dois álbuns: "Consolando" e "O bem está em nós".


CD "Consolando" no Blog EspiritualMente
Consolando




Contato para shows e venda de CD's:

https://www.facebook.com/lanio.thomaz


Emaillaniosil@gmail.com



*          *          *

EspiritualMente - Como o Espiritismo chegou em sua vida?

Lânio - Foi através da minha esposa Silvana. No começo, foi um pouco difícil porque eu era católico e tinha um certo preconceito em relação ao Espiritismo, ao ponto de pedir para que ela não me convidasse para ir ao centro quando ela fosse. Mas, depois de uns 02 meses, conheci, através dela, uma amiga chamada Antônia Nery em um cemitério, por incrível que pareça, quando esta velava o corpo de sua mãe às 11:30 da noite em uma cidade vizinha a minha. Aí, ela deixou o velório de sua mãe de lado para conversar comigo. Ela tem mediunidade de vidência e, quando me viu, fez uma espécie de raio-x, relatando tudo o que eu sentia. A partir de então, eu quis pagar para ver o que era o Espiritismo e fui buscar ajuda. Daí em diante, nunca mais saí!
Lânio Thomáz no Blog EspiritualMente
Lânio com sua esposa Silvana

EspiritualMente - De onde veio o talento musical? Quem são suas principais influências?

Lânio - O meu fascínio pela música vem desde criança, sempre quando via alguém com um violão nas mãos eu ficava louco e insistia para que o meu pai me desse um de presente. Quando completei 12 anos, ganhei, com muita insistência, um violão da minha mãe, que já era de um tio meu que, por sinal, me ensinou os primeiros acordes. Sendo assim, meu tio foi uma das minhas influências. Nessa mesma época, conheci o trabalho do Almir Sater, do qual me tornei fã logo de cara. Peguei aulas de violão durante um tempo com um professor da minha cidade e depois continuei sozinho porque vi que, para me desenvolver, não poderia viver condicionado a professores. Desde então me tornei autodidata e passei a aprender as músicas por ouvido.


EspiritualMente - Você já lançou dois CD's: "Consolando" e "O bem está em nós". Qual o perfil e objetivo de cada álbum?

Lânio - Sim, o "Consolando" foi gravado de maneira bem simples, com voz, violões, baixo e algumas peças de percussão. O objetivo foi gravar as músicas que eu mais gostava de cantar nos centros espíritas e contribuir com as vendas dos CD's para as manutenções da casa onde frequento, que é o CEPAC em Luziânia/GO, além de registrar e divulgar um pouco do meu trabalho. Já "O bem está em nós" não foi lançado fisicamente, apenas em meu site, devido a problemas técnicos de áudio. Então decidi desconsiderá-lo e fazer outro que deverá ser lançado daqui a 2 ou 3 meses. Este será bem mais elaborado, com instrumental e arranjos mais técnicos, completo e harmônico, com algumas participações especiais. O objetivo é divulgar a música espírita para todas as pessoas, independente de religião ou gênero musical. 




EspiritualMente - Como você vê o atual cenário da música espírita?

Lânio - Vejo como muito promissor, pois a música espírita tem o poder de harmonizar, serenar e acalmar o coração das pessoas com suas mensagens edificantes. Vejo também que é um tipo de música que tem tudo para evoluir e ocupar o mesmo espaço que a música católica e evangélica ocupam.


EspiritualMente - Por mais imensa que seja a obra, todo artista sempre nutre um carinho especial por um determinado trabalho realizado. De todas as suas composições musicais, qual aquela que você considera mais especial ou diferenciada? Por quê?

Lânio - São duas, mas tendo que falar de uma, eu cito a faixa título do próximo trabalho "O bem está em nós" pelo fato da música ter surgido de uma maneira inusitada. Sempre aos sábados à noite, eu saio para fazer uma corrida. Quando saí de casa para tal, passei em frente a um terminal rodoviário interestadual, próximo a minha casa. Passando por lá, vi que lá permanecem pessoas que fazem uso de drogas, realizam assaltos, enfim, me ocorreu o entendimento de que os espíritos de baixa vibração permanecem em zonas inferiores para influenciarem o mal. Então, a música surgiu de maneira espontânea para falar disso. O bem é lindo, é livre, algo bom de se fazer...


EspiritualMente - Você tem algum objetivo ou projeto relacionado a música espírita?

Lânio - Sim, tenho muitos. Viajar pelo Brasil inteiro, quem sabe até pelo mundo, e divulgar aos quatro cantos a música espírita e continuar nessa estrada que me faz tão bem, fazendo novos CD's e, quem sabe, até gravar DVD's.




EspiritualMente - Como está sua agenda de shows para os próximos meses?

Lânio - Graças a Deus, tenho trabalhado bastante, com muitos convites. Nesse mês de dezembro, tenho umas 20 apresentações. Fecharei 2018 com 105 apresentações e, em 2019, irei fazer uma apresentação em São Paulo pela primeira vez!


EspiritualMente - Que mensagem final você deixa para os colaboradores, seguidores e visitantes do nosso blog?

Lânio - Parabéns pela bela iniciativa na criação do blog. Assim se concretiza mais um canal de veiculação e propagação dessa Doutrina maravilhosa e esclarecedora, que nos ajuda em nossa caminhada evolutiva como espíritos eternos que somos. Espero que continuem nesse caminho e que tenham cada vez mais e mais sucesso. Paz e luz a todos!




*          *          *


O Blog EspiritualMente agradece a Lânio Thomáz pela gentileza em conceder tão bela entrevista!

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Repensando valores após as eleições

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

Precisamos repensar os valores sociais, morais e espirituais da sociedade brasileira.

Mesmo numa sociedade aviltada em seus princípios, desesperançada em seus ideais, vilipendiada em seus sonhos, não deveria proceder essa inversão de valores, otimizando a violência, a misoginia, a homofobia, o preconceito e a inferioridade do gênero feminino.

Será que realmente houve um protesto contra o sistema vigente ou esses valores já estavam latentes em cada ator social e foram impulsionados por alguém?

Fico muito preocupado quando percebo essa velocidade e fluidez de conceitos. As pessoas representam um papel na sociedade mas protagonizam outros papeis nesta inversão de valores sociais.

Precisamos também repensar os partidos políticos, sobretudo da esquerda brasileira. É fundamental fazer uma releitura dos usos, costumes e convicções do povo. A sociedade mudou, o mundo mudou, os anseios, os medos e as alegrias são outras. A ideologia dominante é a exacerbação do consumo, o individualismo exagerado e o materialismo desenfreado.

Na verdade, estamos muito longe do progresso. Não estou me referindo ao progresso material e tecnológico, mas sim, ao progresso moral. Ainda trazemos resquícios de um passado longínquo: recalques, preconceitos, tiranias, desamor... 

A parte boa de todo esse processo é que a hipocrisia latente nas pessoas foi revelada. Os papeis de bom moço e de boa moça foram desmascarados.

Agora é hora de reconstruir a sociedade através dos seus atores, a partir de personalidades reais, concretas e não apenas aparentes. 

Acredito que a sociedade que surgirá de tudo isso será realmente mais humana, mais solidária, inclusive, amorosa. É preciso resgatar todos os bons valores sociais em nome de uma vida feliz.


Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma




Deseja ler outros textos de Almir Paes? Então clique aqui!



sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Campanha Natal Solidário



No dia 23/12/2018, às 08:30h, o Educandário Espírita Joana D'Arc estará promovendo mais uma Campanha Natal Solidário.

A campanha é realizada há mais de 20 anos na Comunidade do Algodoais, localizado no município do Cabo de Santo Agostinho/PE. São assistidas 193 famílias carentes (quase mil pessoas, dentre as quais 300 crianças), que vivem exclusivamente da venda de produtos agrícolas como caju, milho, acerola etc. plantados em suas terras.

Neste ano, além de roupas e brinquedos, os trabalhadores pretendem levar 200 cestas básicas para atender às famílias. Além disso, necessitam de doações em dinheiro para ajudar a cobrir despesas operacionais como transporte (caminhão e ônibus), sacolas, complemento de cestas etc.

Quem quiser e puder ajudar este belo trabalho, o Educandário está aceitando doações de cestas básicas ou componentes alimentícios, roupas usadas e em bom estado, brinquedos etc. 

Caso queira fazer doações em dinheiro:

Caixa Econômica Federal
Agência: 1028
Conta Poupança: 20859-8   
Operação: 013

A entrega da doação e a arrumação dos materiais serão realizados no próprio Educandário nos seguintes dias e horários:

- Novembro: 17, 24 e 28 (das 09 às 13 horas);
- Dezembro: 01, 08, 12, 15 e 22 (das 09 às 13 horas).

Todos estão convidados a participar desta campanha!

O Educandário Espírita Joana D'Arc fica situado na Rua Abdias de Oliveira, nº 211, Zumbi, Recife/PE.

Veja algumas fotos da Campanha realizada em 2017:






Contato para mais informações sobre a campanha:
(81) 98606-8460 (Almir Paes)



terça-feira, 13 de novembro de 2018

Entrevista com a neuropsicóloga Paula Uchoa

Paula Uchoa no Blog EspiritualMente

Paula Uchoa nasceu em Recife/PE.

Graduada em Administração de Empresas e Psicologia e Pós-Graduada em Neuropsicologia, Gestão de Pessoas e Acupuntura. Atualmente, está cursando Terapia Cognitiva Comportamental e Neurociências.

É casada e tem um filho de 15 anos.

É trabalhadora do Lar de Maria, situado em Recife/PE, atendendo como psicóloga a comunidade carente do bairro de Chã de Mangabeira, os colaboradores e pacientes da casa espírita.

Admiradora e estudiosa das obras de Joanna de Ângelis, realiza palestras em vários municípios pernambucanos e do Nordeste. É membro da Associação Médica Espírita de Pernambuco (AME-PE) e participa ativamente dos grupos de estudos sobre Psiquiatria e Psicologia.

O foco principal de suas palestras é a intersecção Psicologia e Espiritismo, sem tirar o olhar da extraordinária contribuição antroposófica, sociológica e antropológica do ser. 

Alguns cartazes de divulgação de suas palestras:


Palestras de Paula Uchoa no Blog EspiritualMente

Contato:

https://www.facebook.com/psi.paulauchoa2015/

https://www.facebook.com/paulauchoa.cristina


*          *          *


EspiritualMente - Como você conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina em sua vida?

Paula - Conheci o Espiritismo em uma brincadeira de criança chamada "o copo", onde uma amiga, que era adolescente na época, através da psicofonia me apresentou pela primeira vez o mundo dos espíritos. Senti muito medo na ocasião. Logo depois, aos 18 anos, fui presenteada com O Livro dos Espíritos. Desde então, um novo mundo surgiu em minha vida. Na época eu era evangélica. Para ser mais precisa, fui evangélica desde os 2 anos de idade, conduzida pelos meus avós paternos. Estudava a Bíblia, porém muita coisa não era respondida, não entendia porque existiam pessoas pobres e outras ricas, cegas, paralíticas etc. Meu coração muito inquieto buscava respostas. Desse modo, iniciei a leitura da primeira obra da Codificação Kardequiana. A partir daí, tudo começa a fazer sentido. Sentia que algo me chamava para este novo mundo. Então, aos 24 anos, me despedi da igreja e pela primeira vez entrei numa casa espírita (Bezerra de Menezes - Lar de Germano) que fica na Vila Popular em Olinda/PE. Até hoje me recordo do sentimento ao adentrar a sala para tomar o primeiro passe, era emoção acompanhada de lágrimas. Qual a sensação? De volta para casa. Foi quando o médium passista chegou ao meu ouvido e disse: - seu guia é uma freira, trouxe você! A Doutrina Espírita se tornou um guia, a bússola, razão e forma de ser no mundo, caminho de luz, ampliação de consciência. É o que me move para trabalhar em prol de um mundo melhor. Entretanto, sou eternamente grata a vida por ter conhecido a Igreja Evangélica Brasileira, a qual fazia parte. Ser protestante nos meus primeiros anos de vida foi um presente de Deus, foi minha base para o que me tornei como ser humano.


EspiritualMente - Como psicóloga e expositora espírita, você acha que o Espiritismo está precisando mais dos postulados da Psicologia ou é a Psicologia que está precisando mais dos postulados do Espiritismo?

Paula - Acredito que uma coisa e outra. Sinto falta dos dois olhares. Penso que a Neurociência faz grandes avanços no campo da saúde mental, porém existe um exagero das ciências psicológicas e médicas em patologizar tudo! Nem tudo é depressão, nem tudo é esquizofrenia, nem tudo é autismo, TDAH etc. É neste aspecto que me preocupo. Acabamos rotulando o indivíduo, fazendo-o acreditar que é "doente" e, muitos ainda dizem, que não há cura! Este determinismo caminha lado a lado com o adoecimento da alma. Que bom que de 1998 para cá, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já reconhece o aspecto espiritual também como conceito de saúde, acompanhado da mental, física e social. Sendo assim, alguns profissionais da área de saúde já observam o paciente de forma integral, o que aumenta as chances de recuperação do mesmo. Quanto ao Espiritismo precisar mais da ciência psicológica, como Neuropsicóloga fico muito feliz por ter a série psicológica da veneranda Joanna de Ângelis, através da psicografia do estimado Divaldo Franco, como livros de cabeceira e estudo aprofundado. Enxergar o homem a partir da lente da Joanna é um presente de Deus. A união das duas ciências - Espiritismo e Psicologia - amplia nossa capacidade de cuidar do outro, orientando-o a partir de sua perspectiva de mundo, buscando faze-lo enxergar que a cura para todas as nossas doenças, seja física ou mental, nascem em nossa mente, na forma como pensamos, no que alimentamos, fortalecendo ou enfraquecendo nossas células. Existem ciências que fortalecem este conceito como a Física Quântica, a Epigenética e o próprio Espiritismo através das obras de Kardec.


EspiritualMente - Nesses agitados e estressantes dias de hoje, que atitudes podemos adotar para manter uma boa saúde mental e espiritual?

Paula - Equilíbrio é a palavra de ordem. O que ocorre é que o homem busca apenas o TER sem parar e analisar a importância do SER. Para vocês terem uma ideia, segundo a OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo. É de extrema urgência o despertar para hábitos diários saudáveis que fortaleçam nosso sistema imunológico físico, mental e espiritual. Citarei alguns:

- AGENDA DIÁRIA - gosto muito de indicar para meus pacientes e em palestras o uso de uma agenda diária com horários pré-estabelecidos. Dessa forma, não sobrecarrega o cérebro e, consequentemente, diminui o estresse e a ansiedade.

- EXERCÍCIO FÍSICO - iniciar a prática de alguma atividade física traz inúmeros benefícios. Além de fortalecer nossa musculatura, dá mais disposição e ainda aumenta os níveis de endorfina, serotonina e noradrenalina, neurotransmissores bem importantes para sensação de bem-estar.

- MEDITAÇÃO DIÁRIA - Joanna de Ângelis fala que devemos asserenar nossa alma, e a meditação diária de, pelo menos, 5 minutos por dia, nos ajuda a voltar para dentro da gente.

- ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL - gosto muito dessa frase: "nós somos o que comemos e pensamos". Comer de qualquer forma é um suicídio inconsciente.

- CULTIVAR O PENSAMENTO POSITIVO - seja através da leitura, meditação e oração. Se chegou um pensamento negativo, substitui logo por um positivo. Por que alimentar o que não está te fazendo bem?

- ESPIRITUALIDADE - busca tua espiritualidade. A Neurociência comprova que as pessoas que acreditam em algo metafísico, sua conexão com o mundo está mais próxima a comportamentos altruístas.

- LAZER - sempre! Com a família e amigos.

Além do desenvolvimento desses hábitos, ABRACE MAIS, SORRIA SEMPRE E AGRADEÇA A TUDO!


EspiritualMente - Qual a sua opinião sobre o ensino e a prática da meditação realizada em algumas casas espíritas?

Paula - Considero de extrema importância. Precisamos entender as demandas atuais da sociedade que são diferentes de 100 anos atrás. As pessoas chegam na casa espírita precisando de um colo amigo, de um abraço fraterno, de silêncio, e a meditação (com uma música edificante) eleva o ser, desconecta-o do estresse diário.


EspiritualMente - O movimento espírita está conseguindo cumprir os seus objetivos na sociedade brasileira ou está faltando ainda alguma coisa?

Paula - Sempre faltará alguma coisa, estamos sempre em processo de evolução e aprimoramento. Os espíritas no mundo são 13 milhões e no Brasil fica em torno de 3 a 4%. O número é baixo, porém somos a nação com a maior contingência de espíritas no mundo, temos muito ainda a contribuir para a nova era. O movimento ainda engatinha... não somos ainda uma única família voltada para o Evangelho do Cristo. As opiniões ainda divergem, somos testados a partir do caos e, por invigilância, nos perdemos dentro do próprio movimento. É sabido que evoluímos muito nos últimos 100 anos, a própria tecnologia tem ajudado bastante, porém ainda é pouco para a proposta do Mestre Jesus quando se refere ao Brasil como "o coração do mundo e pátria do Evangelho". Volto a dizer: precisamos trabalhar o ser!


EspiritualMente - Todo trabalhador espírita, principalmente aqueles que atuam no campo da divulgação, já vivenciou um fato curioso, inusitado e cheio de reflexão no desempenho da tarefa em questão. Você poderia nos contar alguma história?

Paula - Já vivenciei tanta coisa que daria para escrever um livro (risos). Mas o que eu me recordo mais claramente agora foi uma consulta que fiz pela primeira vez numa determinada casa espírita com um médium incorporando um espírito alemão onde me ajudou muito na ocasião com suas orientações. O curioso foi que descobri depois que aquele "médium" nunca existiu, ou seja, os trabalhadores da consulta me informaram que nunca existiu a pessoa que citei e muito menos incorporando um alemão! Ainda bem que isso ocorreu há uns 3 anos porque se fosse no meu início de Espiritismo, imagine o susto que uma ex-evangélica levaria! (risos)


EspiritualMente - Você tem algum projeto ou objetivo a ser alcançado no trabalho espírita?

Paula - Sim, vários projetos! O tempo todo, o coração me chama para o trabalho. Sinto-me muito feliz na Doutrina Espírita, o que me motiva para contribuir de forma mais ativa por um mundo melhor. Atualmente estou desenvolvendo um projeto sobre a saúde psicológica dos trabalhadores espíritas. Nos preocupamos muito com a demanda dos pacientes que tem chegado em nossas casas, como a população tem adoecido com transtornos diversos. A escuta terapêutica amplia nossa consciência e responsabilidade num universo global, pois atendemos da criança ao idoso e de diversas religiões, o que me fez e faz refletir que Deus não nos concedeu essa profissão por acaso. Precisamos dar algo a mais a humanidade. Daí, neste último Simpósio de Estudos e Práticas Espíritas de Pernambuco (SIMESPE) me veio muito claro a importância desse trabalho, uma vez que o Brasil é o celeiro espiritual do mundo. Fui convidada para dar uma entrevista no qual o tema poderia ser de nossa escolha. Pensei em algo diferente, que despertasse o interesse da comunidade espírita. Foi quando resolvi consultar nosso guia espiritual. Pronto! O tema nasceu: "O acolhimento das casas espíritas ao trabalhador e paciente numa ótica psicológica". A entrevista foi conduzida pela neuropsicóloga Kátia Dias, a qual em harmonia, também corrobora desse mesmo desejo. Desde então, a convidei para juntas escrevermos um livro acerca do assunto. O projeto engloba também seminários (teoria e prática) nas casas espíritas que queiram aderir a proposta com foco na saúde mental dos trabalhadores do Cristo. Também temos outro projeto orientado pela espiritualidade médica que seria a construção de um hospital holístico direcionado à área de saúde na linha perispiritual paralela com acampamento da medicina convencional aqui em Pernambuco. No Brasil, dos que eu conheço, existe em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais. É algo que requer vários braços e recursos financeiros. Mas, segundo a espiritualidade amiga, no momento certo tudo chegará. Outro ponto que pretendemos expandir são os vídeos curtos falando sobre Psicologia e Espiritualidade. Já temos um canal no YouTube com vídeos antigos e também palestras gravadas, além das redes sociais (Facebook e Instagram) com textos reflexivos.




EspiritualMente - Que mensagem você deixa para os seguidores, visitantes e colaboradores do nosso Blog?

Paula - O Brasil tem jeito com AMOR, EDUCAÇÃO e RESPEITO.

Façamos nossa parte com simples gestos;

Não espere receber um abraço, vá até lá e dê um abraço;

Não espere receber um sorriso, sorria assim mesmo;

Não espere agradecimentos, seja grato a tudo na vida, absolutamente, tudo;

Não espere ouvir eu te amo, diga eu te amo;

Respeite o tempo do outro, cada um no seu ritmo;

Não julgue, auxilie;

Na vida não existe punição e nem recompensa, existe consequência.

Portanto, meus amigos, façamos nossa tarefa de casa pensando na construção de um mundo melhor.

Viva a nova era!

Ao Blog EspiritualMente, minha gratidão pela oportunidade, pelo acolhimento e carinho, dando-me todo o tempo necessário de resposta!

Parabéns pela inteligente iniciativa desse projeto que certamente nos aproximará mais dos nossos amigos do movimento espírita.

Que Deus os abençoe grandemente!


*          *          *

Agradecemos a Paula Uchoa por conceder tão gentilmente esta bela e reflexiva entrevista!


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

O escritor e sua função social

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

Qualquer escritor tem função social. Seja para conservar ou contribuir na transformação do objeto/sujeito enfocado.

Trago nos meus escritos a ânsia de buscar um mínimo de engajamento, fazer do texto veículo de luta ou qualquer coisa capaz de melhorar o mundo e o homem.

O filósofo Jean-Paul Sartre dizia que "o primeiro dever de quem escreve é alertar".

Hervé Bazin afirmava que "o papel do escritor é o de tornar intolerável, para todos, aquilo que ele próprio não pode aceitar na existência - injustiça, hipocrisia..."

Escrever é tentar entender o mundo.

O poeta Mário de Andrade comentava que "todo escritor acredita na valia do que escreve. Se mostra é por vaidade. Se não gosta, é por vaidade também".

Para mim, na embalagem deste ofício de escrever vem: assunto oportuno, clareza, concisão, decência moral e estética e originalidade.

Dói-me ver uma boa ideia mal vestida, a desfilar pelas páginas em andrajos, traçada em frases inchadas, sem refinamento literário.

Todo escritor tem um estilo próprio. Estilo é escolher palavras, definir a construção sintática e o ritmo dos fatos, bem como os próprios fatos. É faze-los navegar em viagem com o leitor, numa composição pessoal característica e marcante. É dar vida e interpretações mil a palavras já gastas e surradas.

O cronista deve passar misericórdia e simpatia com a humanidade.

É não fugir da ideologia marcante. O meu socialismo é aprisionado, entrincheirado nas letras.

Persigo sonhos, até quando me enrosco nos cabelos cacheados da liberdade. Vai ver é porque "toda canção de liberdade vem do cárcere", já dizia Gorch Fock.

Sem nenhuma pretensão, assim escrevo e penso!


Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma




Deseja ler outros textos de Almir Paes? Então clique aqui!



sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Sete vidas

Sugestão de filme do Blog EspiritualMente

Ano: 2008

Direção: Gabriele Muccino

Nacionalidade: EUA

Gênero: Drama

Com: Will Smith, Rosario Dawson, Woody Harrelson

Sinopse: Ben Thomas (Will Smith) é um agente do imposto de renda que possui um segredo trágico. Por conta disso, ele carrega um grande sentimento de culpa, o que faz com que ajude pessoas completamente desconhecidas. Porém, tudo muda quando ele conhece Emily Posa (Rosario Dawson).




Comentário: Uma história que nos leva a pensar a respeito de castigos, punições e dor na consciência. Quando prejudicamos alguém, mesmo sem intenção, será que somos culpados? Por outro lado, quando realmente erramos, será que reconhecemos e reparamos a falha? O filme nos convida a refletir sobre a importância da vida e a prática do bem.




terça-feira, 9 de outubro de 2018

Entrevista com Kátia Del Rey

Kátia Del Rey no Blog EspiritualMente
Kátia Del Rey

Filha de uma índia da tribo Xacriabá com um português, nasceu na cidade de Abaeté/MG. Foi criada na cidade de Presidente Prudente/SP. Atualmente reside em Jundiaí/SP. É viúva e tem duas filhas.

Em busca de respostas sobre a espiritualidade, cursou Parapsicologia, Numerologia, Gnose e Cromoterapia. Mas foi através da Doutrina Espírita, estudando as obras de Allan Kardec, que obteve os tão desejados esclarecimentos.

Está vinculada ao Centro Espírita Fraternidade Jundiaí.

Kátia Del Rey no Blog EspiritualMente
Kátia autografando um dos seus livros

Kátia Del Rey é atriz de teatro e já escreveu vários livros, dentre eles:

Livros de Kátia Del Rey
Alguns livros de Kátia Del Rey


Para adquirir esses e outros livros, acesse:

https://katia-del-rey.lojaintegrada.com.br/

https://www.lojabonecker.com.br/muralhas


*          *          *

EspiritualMente - Como você conheceu o Espiritismo? Qual a importância desta Doutrina em sua vida?

Kátia - Fui criada em igreja evangélica, porém, desde tenra idade, convivi com fatos e acontecimentos conhecidos como "sobrenaturais". Sabia, por exemplo, onde encontrar objetos perdidos, descobrir doenças ainda não diagnosticadas, e isso deixava meus pais adotivos muito perplexos. Na fase adulta, passei a ouvir batidas na parede, aparelhos que ligavam e desligavam sozinhos. Certa vez, fui visitar o pai de um amigo que estava acamado há vários dias. Conversando com a família sobre o estado de saúde, uma parente dele me perguntou se eu era espírita. Confesso que me senti ofendida, afinal eu ainda trazia os preceitos evangélicos nas raízes. Mas com muito carinho e sabedoria, a encantadora senhora me esclarecia que tudo o que eu falava e ensinava, a Doutrina Espírita também ensinava e que eu teria grandes surpresas em conhecer as respostas que tanto buscava e não havia quem me satisfizesse. Exemplo: por que eu sabia quando alguém ia morrer? Como sabia quando uma pessoa ia chegar em casa? Ou quando uma pessoa mentia? Se a doença que trazia em seu corpo tinha cura ou morte? Foi quando comecei a me interessar e esta senhora me deu o endereço do Centro Espírita que frequentava. É a mesma casa que frequento até hoje. A Doutrina Espírita é tudo de bom em minha vida. Foi a melhor coisa que já me aconteceu.


EspiritualMente - Conte-nos como se tornou escritora.

Kátia - Na minha infância, gostava de reunir crianças a minha volta para contar histórias. Na escola sempre tirava notas máximas em redação. Mais tarde, ainda na adolescência, muito antes de conhecer a Doutrina, passei a ouvir histórias de amigos não visíveis. Como quisesse lembrar delas para contar depois, comecei a colocá-las no papel. Nessa época eu não tinha possibilidades em comprar caderno, escrevia em papel que embrulhava o pão. A foto abaixo, é o rascunho de um dos meus romances publicados recentemente e editado pela Editora Bonecker.

Kátia Del Rey no Blog EspiritualMente


EspiritualMente - Você tem vários livros psicografados. Fale-nos um pouco sobre os espíritos que você mantém e manteve parceria mediúnica.

Kátia - Algumas vezes, uma freira, Irmã Josefa, me dá o prazer de sua presença e me enriquece com seus conselhos. Tenho dois livros de autoajuda a serem publicados, ditados por ela e pelo meu mentor Brits. Um deles é "Perdão pelo mau que lhe fiz". A maioria dos livros são ditados por Samuel Guedes, mas tem alguns amigos que preferem não citar nome. O livro "O paiol", por exemplo, é um dos meus favoritos, o qual o nosso amigo preferiu ficar no anonimato.


EspiritualMente - De todos os seus livros, qual aquele que você tem um carinho especial? Por quê?

Kátia - "Eco nas rochas", que está em sua terceira edição e só nos resta três volumes. Na época, eu estava no sítio da minha filha em Itapeva/MG quando ouvi, logo após ter deitada, alguém dizer por três vezes seguidas: "- Goroty Guariãn". É claro que fiquei um tanto assustada e como o nome era muito estranho para mim, anotei em um papel que sempre mantenho em minha cabeceira. Alguns dias depois, no mesmo local e hora, ouvi novamente: "- Eco nas rochas". Eu disse a mim mesma, "isso é nome de um livro"! Quase um mês depois, ele se apresentou, não como Goroty, mas como Tibério.


EspiritualMente - Durante sua produção literária, no momento da escrita, você já vivenciou algum fato curioso, inusitado ou cheio de reflexão relacionado a espiritualidade? Poderia nos contar alguma história? 

Kátia - Escrevi um livro chamado "Corpo astral", hoje esgotado, onde relato vários fatos vivenciados fora do corpo físico. Certa vez, fui transportada ao local onde passou ou estava passando o episódio. Foi muito estranho, pois eu não tinha consciência de mim mesma, meu corpo continuava no escritório digitando, mas meu espírito estava longe dali. No final do dia quando retornei (meu espírito voltou), não me recordava de nada, não sabia em que local eu estava. Após alguns minutos, fui me conscientizando de que estava no escritório da minha casa. Também não recordava o que tinha acontecido anteriormente enquanto estava fora. Em outra ocasião, estava deitada em meu quarto (no mesmo horário e local no sítio em Itapeva/MG) quando surgiu em meio a nuvens um buraco no teto (pelo menos era assim que eu pensava ser), e desse buraco surgiram três degraus em formato de gigantesca pedra de gelo ou cristal de quartzo que desceram até os meus pés. Encantada com aquilo, eu orava quase em desespero pedindo que me mostrasse onde iria dar aquela escada. Lamentavelmente, não toquei nela e muito menos subi.


EspiritualMente - Em meio a tantas crises, escândalos e crescimento da violência, como você observa a atualidade e o futuro do Brasil? Estamos no rumo certo?

Kátia - Quanto aos escândalos, Cristo e o apóstolo Paulo já nos havia alertado a mais de dois mil anos atrás que "nos últimos dias haverá tempos difíceis. Pois muitos serão egoístas, avarentos, orgulhosos, vaidosos, xingadores, ingratos, desobedientes aos seus pais e não terão respeito pela religião. Não terão amor pelos outros e serão duros, caluniadores, incapazes de se controlarem, violentos e inimigos do bem. Serão traidores, atrevidos e cheios de orgulho. Amarão mais os prazeres do que a Deus; parecerão ser seguidores da religião, mas com as suas ações negarão o verdadeiro poder dela". E nos aconselha para que fiquemos longe dessa gente (2 Timóteo 3:1-5). O Brasil é protegido por Ismael, pupila dos olhos do Cristo, nada devemos temer. Somos abençoados e gratos pelo privilégio de termos nascidos nesse país, uma terra sagrada!


EspiritualMente - Que mensagem final você deixa para os visitantes, seguidores e colaboradores do nosso Blog?

Kátia - Fé, confiança, Deus nunca desamparou seus filhos. Lembremo-nos que, no Livro Sagrado, está citado 366 vezes "não temas", 366 vezes "não tenha medo" e "crê somente", disse-nos Jesus. Lembremo-nos também de que "somos um com o Pai e o Pai é maior que nós". Paz e luz em nossos corações. Minha gratidão!


*          *          *

O Blog EspiritualMente agradece a colaboração, gentileza e simpatia de Kátia Del Rey por conceder esta entrevista!