quarta-feira, 28 de março de 2018

Pai e Mãe


Pai e Mãe deveriam ser eternos. Nunca se separariam fisicamente da gente.

Mas os desígnios e a sabedoria divina é bem maior que os nossos sentimentos de posse, ainda pueris e de baixa evolução.

Com o pai e com a mãe a gente aprende a viver. Depois, ficamos um pouco mais independentes. Mesmo assim, ainda seremos os mesmos e eternos meninos, principalmente para as mães.

Quando nossos pais partem para a pátria espiritual, a verdadeira pátria, ficam as lembranças, ternas e eternas. Quando eles mudam de plano é que a hora de cada um chegou. Nós ainda achamos que é sempre prematura a ausência deles.

Assim é a vida: com chegadas e partidas. Idas e vindas. Se nós ficamos com saudade da presença física deles, já eles reencontram seus pais, parentes, amigos... é uma festa do reencontro!

Mesmo com todo conhecimento espírita, a saudade deles ainda é muito grande. Eles fazem parte da história da vida de cada um de nós. Eles foram os nossos exemplos, nossos heróis, nossos modelos, nossos ídolos. Ídolos reais, não ídolos fabricados.

Que Deus abençoe a todos os pais e mães encarnados e desencarnados. É uma missão esplendorosa, educativa, trabalhosa, mas muito reconfortante e prazerosa.

Almir Paes
O cronista da alma

Um comentário:

  1. Nossa que esclarecimento...amei! Ainda mais agora q perdi minha mãezinha tem 09meses e a saudade é imensa. Já q meu querido pai tbm se foi tem mais de 30anos...é um consolo saber desses detalhes. Quero que meus pais fiquem bens.obrigada pela mensagem.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!