quinta-feira, 17 de maio de 2018

Mediunidade com saúde

Texto de Nilton Moreira no blog EspiritualMente
Mediunidade com saúde

Qual o motivo de muitos viverem adoentados, impossibilitados de levar uma vida normal e, o pior, ainda atrapalharem o cotidiano dos outros, principalmente de quem vive sob o mesmo teto?


Parece existir um conjunto de fatores que levam as pessoas a sentirem-se deprimidas e daí experimentarem mal estar rotineiro, sendo o principal o não seguir os conselhos do Mestre: "vigiai". Deixamos nossa mente sem a vigilância necessária, com pensamentos de amargura, orgulho, mágoa, maledicência se apoderarem de nós e o psicossoma então passa a ser envolvido numa psicosfera que age como banho negativo, inibindo nossas energias salutares.

O sensitivo americano Edgar Cayse, em certa ocasião, disse que "somos aquilo que pensamos", e Jesus na intenção de demonstrar a necessidade de estarmos com o pensamento elevado o maior tempo possível disse: "vigiai e orai". Ora, se temos parâmetros para uma boa saúde, por que evitamos? Apenas orar não neutraliza o ingresso no organismo dos miasmas pairantes. É preciso também vigiar!

Por outro prisma, tem pessoas com pensamentos elevados e que praticam o bem a outrem, mas que também enfrentam mal estares e que, pela medicina, são tidos como sem causa definida, sendo ministrados medicamentos que apenas combatem os sintomas, cuja medicação às vezes leva à dependência, por persistirem sintomas de insônia, angústia, depressão, dores de cabeça, palpitações, tremores, tonteiras, desmaios, visões, medos e outros.

Em verdade, muitos destes acometimentos relacionam-se com mediunidade que por ser desconhecida de muitas pessoas, passa a dar conotação de doença. Tal atividade existe desde os primórdios e está nos livros mais antigos. "Ser médium é servir de intercâmbio entre o plano carnal e o espiritual", sendo, portanto, atributo que não está ligado à religião alguma, pois é inerente ao ser humano.

A mediunidade explicada por Chico Xavier, por exemplo, tem a finalidade de auxiliar, pois que por meio dela podemos desenvolver atividades de caridade das mais diversas, incluindo curas, interpretação de sonhos, visão do futuro e ajudar aos que partiram encontrar o caminho do esclarecimento no mundo espiritual. Mas se a pessoa que sente os sintomas não quer praticá-la, poderá, estudando e se esclarecendo, experimentar melhora e voltar a ter uma atividade de vida normal, sem medicamentos, pois mediunidade não é doença. O que importa é procurar o esclarecimento para saber lidar com esta ciência, já que tudo que nos é desconhecido ou não sabemos lidar, nos causa medo, o que é normal.

Busquemos o conhecimento para que assim possamos ter uma vida com menos sofrimentos e conflitos mentais.

Paz a todos!


Nilton Moreira no blog EspiritualMente



Deseja ler outros artigos da Coluna Vida além da Vida? Segue o link: http://www.blogespiritualmente.com.br/search/label/Coluna%20Vida%20al%C3%A9m%20da%20Vida

Um comentário:

  1. É um fato corriqueiro entre pessoas que tem elevada sensibilidade mediúnica uma "sintomatologia" de múltiplas doenças sem causa aparente e com extrema frequência. As energias acumuladas pela proximidade do aparelho mediúnico com o tempo afeta o médium não equilibrado e desenvolvido.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!