segunda-feira, 4 de junho de 2018

O rosto da felicidade

Texto de Almir Paes no blog EspiritualMente

Certa vez, eu vi numa foto um rosto sorridente, inocente, singelo, de uma criança.

Ao fundo, por trás da foto, nos bastidores, vi a dura realidade social que envolve a sua vida: habitações sub normais (barracos), esgoto a céu aberto, lixo, roedores, contrastando ao semblante da criança feliz.

Não é que para ser feliz precisamos ser miseráveis, mas que não haja tanta vinculação da felicidade com ostentação, materialismo. A mídia nos bombardeia a toda hora com esses jargões: felicidade é ter lancha, roupas finas, casas suntuosas, com a real intenção de criar e manter o hábito de consumo nosso de cada dia. A pedido dos empresários, os marqueteiros, os psicólogos, sociólogos, estudaram o perfil social e comportamental do ser humano e apresentaram para eles um modelo mercadológico que cria dependência de consumo, tipo assim: "quem não consome o produto X não tem status social.

O direcionamento do mercado de consumo é voltado para todos, mas sobretudo para crianças e adolescentes que ainda estão formando suas personalidades. A estratégia dos empresários não é apenas vender, mas criar o ímpeto e uma certa dependência do consumidor para com o determinado produto. Algumas crianças já dizem que não vivem sem consumir tal salgadinho, tal chocolate, tal refrigerante etc. Daí, eles pressionam os pais e conseguem o que querem. Com isto, vai se formando, perigosamente, uma geração de crianças e jovens dependentes, obesos, angustiados e, o que é pior, depressivos. 

Veja até onde está chegando a volúpia de lucros desses empresários. Eles pouco estão ligando para ética, moral ou saúde pública. Eles só querem saber de auferir lucros bem exorbitantes.

A felicidade é um estado interior de cada um. É uma conquista individual das pessoas. O rosto da felicidade está na simplicidade dos fatos e ações e não nos bagulhos/trambolhos tecnológicos que tentam nos empurrar.

Texto de Almir Paes no blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma

2 comentários:

  1. O que causa também profunda tristeza é o fato que as pessoas continuam votando naqueles que prometem e depois surrupiam e cobram propinas e superfaturam as obras em troca de favores, muitas vezes por necessidade premente. A educação, seja a formal ou espiritual é a única solução para a real melhoria, a meu ver.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente! Antes éramos felizes pois não precisávamos mt de brinquedos,pois tinha os piques,brincar de roda, e tantas outras simples... Agora...

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!