terça-feira, 31 de julho de 2018

Entrevista com a Parapsicóloga Clínica Carla Bettin

Carla Bettin no Blog EspiritualMente
Carla Juliana Bettin


Formada em Administração e, mais recentemente, em Parapsicologia Clínica.

Atuação de trabalho com técnicas como:

- Reprogramação Mental;
- Análise da Tabela Familiar (Genetograma);
- Regressão de Memória;
- Hipnose;
- Orientação parapsicológica individual, em grupo, familiar ou empresarial;
- Acompanhamento para gestantes e/ou casais.

É escritora e colunista do site Eu sem Fronteiras.

Carla Bettin no Blog EspiritualMente


Contato:

Email: carlajuliana.bettin@gmail.com
Instagram: @carlabettinterapeuta
Facebook: Carla Bettin Terapeuta
Blog: Carla Bettin - Parapsicóloga Clínica


*          *          *


EspiritualMente - Como é a sua relação com a Religião e a Espiritualidade?

Carla - Minha relação com a Religião iniciou-se com o meu batismo na Igreja Católica, que recebi através de meus pais, padrinhos e familiares. Posteriormente, fiz Primeira Comunhão e Crisma.

Sempre fui muito participativa das missas, grupos de jovens, carismáticos, fiz viagens à Aparecida do Norte, Canção Nova etc. 

Fui uma criança muito sensitiva. 

Na adolescência/juventude era muito revoltada e nervosa, tive depressão, tomava remédios, dormia demais e chorava muito. 

Internamente sempre sentia que havia algo mais a ser descoberto, que muitas atitudes e comportamentos eram involuntários e que eu precisava descobrir mais a respeito, pois o que eu sentia e vivenciava não condizia com o que lá no fundo eu acreditava. Havia um impulso interno que me tornou uma buscadora, porém eu não sabia ainda o que exatamente buscava. 

Na faculdade, um amigo me indicou o livro "O Poder do Subconsciente" de Joseph Murphy. Fiquei maravilhada com a leitura, fiz até um teste para ver se funcionava mesmo a tal "lei de atração" e funcionou. Tomei gosto pela leitura e, durante as viagens diárias até a faculdade, lia cerca de 01 livro por semana. 

Nessa busca, conheci muitas Religiões, seitas, filosofias, xamanismo etc. Sempre muito curiosa, pesquisei e visitei muitas igrejas e fui conhecendo outras crenças, mas foi através da Parapsicologia que passei a me compreender melhor como ser humano e então percebi que o que eu buscava mesmo era paz e harmonia, tanto no meu interior quanto no exterior. 

Num primeiro momento houve uma confusão entre o que eu vinha descobrindo exteriormente e as minhas crenças pessoais, principalmente aquelas herdadas da família, mas depois pude organizar e, ao mesmo tempo, integrar tudo (separando o joio do trigo), analisei o que as Religiões tinham em comum, percebi que a busca no final era sempre a mesma e aí, sim, começou a minha relação com a Espiritualidade. 

Passei a compreender a grande teia da vida e a ver tudo como sagrado, a identificar aquilo que me desviava do caminho correto (até porque pecado significa errar o alvo), e tenho como espiritualidade a minha conexão sincera com Deus, a partir do meu interior, mas acredito que a Religião também pode ser uma ponte para esta conexão. 

Considero que a Religião é um caminho que pode nos oferecer a oportunidade de se conectar com Deus, mas que a Espiritualidade é a própria conexão em si. A partir desta compreensão é que se dá a minha relação tanto com a Religião quanto com a Espiritualidade.


EspiritualMente - Fale-nos um pouco sobre o que é e como funciona a Parapsicologia Clínica.

Carla - Parapsicologia é a ciência que estuda os fenômenos paranormais. O que muitas pessoas desconhecem ainda e que aos poucos estamos desmistificando, é que há muito tempo a Parapsicologia vem sendo aplicada como terapia (modalidade que tem como precursor o Frei Albino Aresi, capuchinho já falecido), e que vem auxiliando muitas pessoas, inclusive com relatos de curas físicas.

Eu faço parte da linha científica de Parapsicologia, que alega que os fenômenos paranormais são produzidos pela mente humana. Se é a mente que produz os fenômenos, faz-se necessário estudar e aprender como a mente funciona.

A escola a qual me formei tem como mentor o Dr. Pedro Antonio Grisa (in memoriam) e segue esta linha voltada para a aplicação terapêutica, tanto que o referido doutor desenvolveu brilhantemente um estudo voltado para a análise da tabela familiar, que possibilita identificar as crenças e programações subconscientes a partir da análise do genetograma (árvore familiar) e reprogramá-las indo diretamente na causa, ou seja, no processo de gestação e nascimento, pois o período gestacional é o momento onde está sendo estruturado o projeto de vida de um novo ser, e o processo de nascimento vem então finalizar este ciclo, representando a primeira conquista e vitória realizada pelo ser humano que é nascer. Tudo que ocorre depois é consequência da forma como esta primeira experiência foi vivenciada.

Então, a Parapsicologia Clínica - termo utilizado em sua pergunta - é a aplicação da Parapsicologia voltada para o atendimento clínico mesmo, ou seja, um olhar mais individual para aquele que a busca.


EspiritualMente - A partir de que momento ou situação recomenda-se ao paciente a utilização de técnicas como a hipnose, a reprogramação mental e a regressão de memória? À propósito, qualquer pessoa pode se submeter a estas técnicas?

Carla - Eu, particularmente, acredito que não existe uma regra. Estou me referindo a minha forma de trabalhar. Primeiramente, eu acolho, observo e interajo com a pessoa que está diante de mim em busca de atendimento e, conforme vamos trabalhando juntas, a cada sessão eu sinto qual a técnica mais apropriada para o momento. Há casos onde desde a primeira sessão a pessoa disse que não aceitaria fazer hipnose, porém obteve ótimos resultados mesmo assim.

Utilizo como base na aplicação da hipnose os dados da tabela familiar. No momento da técnica, os dados coletados são importantes para se ter elementos que possibilitem a compreensão do fato trazido à tona. A compreensão faz com que a pessoa passe a enxergar a situação perturbadora através de uma nova ótica. Com um novo ponto de vista em relação ao fato, ocorre então a reprogramação.

O resultado vai depender de pessoa para pessoa, quanto mais aberta estiver, bem como quanto mais relaxada e confiante para deixar a mente livre para acessar a memória, melhor o resultado.


EspiritualMente - Em que consiste a orientação parapsicológica individual, em grupo, familiar ou empresarial?

Carla - A orientação individual que me refiro na apresentação seria a consulta, o atendimento pessoal mesmo. Em grupo seriam palestras, workshops e cursos. 

No trabalho em grupo, aborda-se os assuntos de uma forma geral, mais instrutiva, e no atendimento individual é possível então analisar a história pessoal e direcionar os conhecimentos e a abordagem para um indivíduo em especial.

A orientação familiar pode proporcionar um caminho para a compreensão de si e do outro, analisando a partir deste contexto a personalidade de cada um para que possam se relacionar de forma mais harmônica.

E o trabalho é o local onde as pessoas passam a maioria do seu tempo diário, ou seja, em torno de 8 horas do seu dia convivendo com pessoas das mais variadas crenças. É muito comum as crenças individuais se chocarem e prejudicarem o relacionamento profissional, então a orientação empresarial pode ser benéfica tanto para os responsáveis pela empresa quanto para os funcionários.

Uma observação interessante é que, em 2005, quando fiz o TCC de Administração, meu tema foi "Qualidade de vida no trabalho", onde abordei a questão de que o funcionário estando bem em casa, estará bem no trabalho, se está bem no trabalho, estará bem em casa, o inverso também é verdadeiro. Hoje posso comprovar isto na prática.


EspiritualMente - "Mente sã, corpo são". Sabemos que muitas doenças podem surgir ou ser agravadas de acordo com o nosso estado mental. Que atitudes e hábitos você recomendaria para termos uma mente saudável?

Carla - As atitudes mais recomendáveis são as de alimentar todos os nossos corpos com aquilo que seja benéfico. 

Assim como o corpo físico precisa de alimentos saudáveis, o nosso mental precisa ser alimentado por pensamentos positivos, gerando consequentemente boas emoções em nosso emocional. 

Ter mais consciência em relação as nossas escolhas, sabendo que toda escolha traz uma consequência. 

Bons livros, boa música, boa alimentação, bons relacionamentos, voltar-se para o que é mais natural, para atitudes, comportamentos e ações que gerem boas memórias em nosso subconsciente, pois amanhã é resultado do que fazemos hoje. 

E, claro, fazer terapia. Diante de tudo o que estamos vivendo não cabe mais aquele pensamento de que terapia é para quem tem problemas, terapia é para quem quer se conhecer e viver melhor.


EspiritualMente - Em meio a tantas crises, escândalos e crescimento da violência, quais suas perspectivas sobre a atualidade e o futuro do Brasil? Estamos no rumo certo?

Carla - Analisando sob a ótica da resposta anterior, o que fazemos hoje é que vai determinar o nosso amanhã. Eu diria que não dá para afirmar se estamos no rumo certo, considerando-se o fato de que nem todos estamos no mesmo rumo.

Infelizmente muitas pessoas ainda estão manifestando atitudes e comportamentos destrutivos e que vão gerar consequências negativas. Ainda há pessoas que caminham pensando só em si, ignorando o todo.

Vejo atualmente muitos movimentos voltados para o autoconhecimento, preservação da natureza, despertar de uma nova consciência, e acredito que o rumo certo seja aquele em que vamos juntos rumo a um objetivo que leve em consideração o bem tanto individual quanto coletivo. Estes movimentos estão crescendo significativamente, então através desta perspectiva, sim, acredito que podemos encontrar o rumo certo a seguir.


EspiritualMente - Você tem algum projeto ou objetivo a ser alcançado como Parapsicóloga Clínica?

Carla - Meu objetivo é compartilhar a receita desta transformação incrível que realizei em minha vida. Hoje tenho plena consciência sobre qual o meu propósito de vida e quero seguir de forma a contribuir para este despertar que vem acontecendo.

Assim que possível, quero reunir os meus escritos (alguns já publicados em artigos) e publicar um livro para que possa alcançar muitas outras pessoas. A leitura sempre foi muito importante em minha vida conforme já relatei, foi o primeiro passo no meu caminho rumo ao autoconhecimento e transformação, sei que pode ajudar outras pessoas e continuar me ajudando também, já que a caminhada é constante.

E, no mais, estar aberta e atenta às oportunidades de contribuir com o meu trabalho e realizar a minha missão como, por exemplo, esta sementinha tão especial que está sendo plantada aqui no Blog EspiritualMente.


EspiritualMente - Que mensagem você deixa para os visitantes, seguidores e colaboradores do nosso blog?

Carla - A mudança que queremos ver no mundo começa dentro de nós. Quando transformamos nosso mundo interior, isto se reflete no exterior.

É preciso coragem para olhar para os fracassos e transformá-los em vitória.

É preciso coragem para olhar para o sofrimento e transformá-lo em alegria.

É preciso confiança para olhar para a maldade que habita dentro de si e escolher manifestar o bem.

É preciso humildade para compreender o outro e perdoar.

É preciso uma conexão sincera com Deus para acordar todos os dias e decidir que acima de tudo, vamos amar incondicionalmente.

É preciso gratidão ao olhar para todas as nossas transformações e viver plenamente no agora, onde tudo acontece, onde podemos sentir, e se podemos sentir, então a vida faz sentido.

Foi a mensagem que veio em meu coração agora e que coloquei em palavras.

Deixo votos de uma vida feliz e plena!

Agradeço a oportunidade!

Paz e luz!


*          *          *


Nós que fazemos o EspiritualMente é que agradecemos a colaboração e a gentileza de Carla Bettin por conceder tão bela e reflexiva entrevista!




5 comentários:

  1. Essa maneira de encarar a vida foi delineada por Jesus há dois mil anos, mas, infelizmente, algumas concepções ditas cristãs a desfiguraram. Por isso, vejo Jesus como um educador de almas e não como uma figura mítica como o apresentam algumas religiões ditas cristãs.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns...belíssima entrevista com Carla Juliana Betin, corajosa e buscadora de SER HUMANA cada vez mais em equilibrio e em harmonia com sua essencia...

    ResponderExcluir
  3. Fiquei encantado com a entrevista e com o trabalho deveras importante de Carla Bettin; parabéns a todos e sucesso com blogs tão relevantes em tempo de profundas e grandes transformações da humanidade terrena:
    fernandorosembergpatrocinio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Linda entrevista!

    ResponderExcluir
  5. Apenas para constar: a linha de pensamento da entrevistada segue a do Frei Albino Aresi e não compreende a espiritualidade na visão do espiritismo, nem o ser como um indivíduo interexistencial inserido no processo reencarnatório evolutivo.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!