segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Mais um Carnaval

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

Com a proximidade de mais um Carnaval, recordo-me daqueles velhos Carnavais, onde morávamos na Avenida Recife, no bairro da Estância, situado na zona sul da Capital Pernambucana.

Lembro-me dos "Blocos de Sujos" - como eram assim chamados aquelas agremiações - do mela-mela, das bombas d'água com água limpa, como também era limpa a intenção de cada um.

Recordo-me que o Sr. Rubem enchia o seu caminhão com crianças e adultos e ia dar uma volta nos locais de folia.

Lembro-me também do Corso, onde os carros percorriam as ruas do centro da cidade bem devagar, um atrás do outro, e as pessoas jogavam água perfumada e lança-perfume umas nas outras.


Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente
Corso

Com o ir e vir dos carros, as pessoas se encontravam e se conheciam ali mesmo. Muitos namoros começaram desta forma nesta época. As pessoas ainda eram bem intencionadas. Elas conversavam umas com as outras com o simples interesse de alicerçar e fazer boas amizades. Os mais jovens tinham a intenção de namorar, noivar e casar com a moça ou rapaz que conheciam e conversavam nesse local.

A festa carnavalesca é fruto da raiz viva dos costumes, usos e valores do povo. Se isto for tirado deste povo só vai restar o capitalismo predador, o consumo imposto pelas grandes empresas através da mídia e as modas padronizadas de quem só tem o interesse de ganhar, de lucrar, de espoliar o mais que puder.

O mal do Carnaval não está na festa, mas nas intenções de cada um que adentra a mesma.

A festa continua a mesma, com algumas inovações tecnológicas como por exemplo o trio elétrico gigante, camarotes, apartações vivas e concretas.

A sociedade também mudou. Ela está mais ocupada, mais estressada, mais egocêntrica, individualista, desumana... e essa desumanização reflete-se nos festejos carnavalescos atuais. 

Nós não podemos e nem devemos rejeitar o Carnaval. Precisamos também respeitar a opção de cada um. É só ter e manter uma postura cristã quando adentrar nas festas de Momo. Não podemos deixar essa postura lá fora, como se deixa uma capa ou uma roupa em algum cabide.

Assumamos essa postura cristã onde quer que estejamos. Afinal, RESPONSABILIDADE e RELIGIOSIDADE não saem de férias durante o Carnaval.

No mais, uma boa festa para todos! Com muita responsabilidade, muita consciência e sem esquecer de levar sempre consigo essa postura cristã.



Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma



Deseja ler outros textos de Almir Paes? Então clique aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pelo comentário!