quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Nada é para sempre

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

A dialética da vida nos direciona para mudanças: mudanças de rumos, de endereços, de ideias, de destinos, de amigos, de projetos de vida...

Quando há uma longa convivência com alguém, nós pensamos que vamos ficar ao lado dele(a) por toda a vida.

Ledo engano.

Ou a pessoa vai embora por vontade própria ou muda do plano físico para o espiritual. Daí, foi encerrado, temporariamente, mais um ciclo deste convívio material. Iremos nos encontrar, de certo modo, em outras ocasiões, de outras formas. Isso acontece na convivência com os nossos pais, irmãos, amigos, vizinhos e companheiros de um passado longínquo que se perderam nas esquinas do tempo.

É uma lei natural. Tudo que vive, um dia perece.

O segredo é utilizar esse pouco tempo que nos é concedido da melhor forma possível. É fazer de cada minuto uma eternidade, de cada hora uma vida nova.

Ao invés de brigas, muitas vezes por motivos fúteis, é preciso promover estimulantes diálogos onde cada um aprenderá um pouco mais com o outro. Assim, aproveitaremos o tempo de uma maneira mais humana, mais prazerosa, mais afetiva.

Os sorrisos, os abraços, serão mais espontâneos e sem condicionamentos servis.

As divergências serão respeitadas e servirão como catalisadores de mudanças.

A empatia será utilizada e reutilizada durante o decorrer dos tempos.

Aí, quando a centelha da vida nos faltar, nós já teremos vivido em plenitude, em êxtase, em abundância. Nós sentiremos saudades apenas do que realizamos e nunca do que deixamos de fazer.

Portanto, vamos fazer de conta que a dialética não existe: as coisas não mudam, as pessoas não mudam, as ideias não mudam. Elas poderão ser infinitas enquanto durarem em nós este sentimento de poeta, a plenitude de um sonhador!


Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma




Para ler outros textos de Almir, basta clicar aqui!



quarta-feira, 28 de agosto de 2019

24ª FELEAL



24ª Feleal no Blog EspiritualMente
Cartaz da 24ª Feleal

FELEAL - Feira do Livro Espírita em Abreu e Lima/PE - realiza sua 24ª edição neste próximo domingo, dia 01 de Setembro de 2019, das 08:00 às 14:00h. O evento ocorrerá na Escola Professor Francisco Barros, localizada na Avenida Duque de Caxias, s/nº (BR-101 Norte), no centro de Abreu e Lima, município a 18 km de Recife/PE. 

O tema deste ano da Feira será a comemoração dos 160 anos da publicação do livro O que é o Espiritismo, com palestra do expositor Hugo Martins.


O evento é realizado pela Associação Municipal Espírita de Abreu e Lima (AME), com apoio da Comissão Estadual de Espiritismo de Pernambuco (CEE-PE) e da Federação Espírita Pernambucana (FEP).


Em 2019, serão 41 instituições, sendo 37 espíritas e 4 de artesanato, participando da Feira, que tem por objetivo a divulgação da Doutrina através do incentivo à leitura e da facilidade em adquirir livros espíritas a baixo custo, a partir de R$ 1,00.

FELEAL no Blog EspiritualMente
Livros à venda na FELEAL

Em sua maioria, são livros usados, em bom estado de conservação, porém a FELEAL conta também com livros novos, revistas, CD's, DVD's, artesanatos etc.

FELEAL no Blog EspiritualMente
Livros espíritas a partir de R$ 1,00

Segundo Carlos Cardoso, coordenador da FELEAL, em 2018 foram "39 instituições participantes, cerca de 3.000 livros expostos e mais de 1.330 vendidos". Além disso, em torno de "200 pessoas estiveram envolvidas na realização e cerca de 1.000 passaram pelo local do evento".

Carlos Cardoso no Blog EspiritualMente
Carlos Cardoso sendo entrevistado por uma emissora de TV

Para muitas instituições, a Feira é uma excelente oportunidade de se arrecadar recursos financeiros para a manutenção da estrutura física das casas espíritas. Além disso, é uma forma simples de se promover o desapego material, onde as instituições fazem campanhas internas entre seus frequentadores durante o ano inteiro para a doação de livros.

FELEAL no Blog EspiritualMente
Barracas de livros na FELEAL

A FELEAL já promoveu a implantação de várias bibliotecas em centros espíritas devido a doações de livros no decorrer do evento, como também ao baixo custo de aquisição de obras.

Mas nem só de livros vive a FELEAL. A Feira conta também com uma praça de alimentação e outra de artesanato, um espaço para crianças (Felealzinha), sala de pintura mediúnica e um auditório para palestras e apresentações artísticas e musicais.


Para quem é amante de livros e da leitura, sem dúvida, a FELEAL é uma excelente oportunidade para se adquirir obras espíritas de todos os gêneros a um baixíssimo custo!


Vale a pena conferir!




quinta-feira, 1 de agosto de 2019

O que é ser poeta?

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

Para mexer com a vida, o poeta não veste farda, macacão, não pega na enxada, nem se especializa no manuseio de máquinas que reduzem a energia de viver a algumas equações de computador.

O poeta arma símbolos, tece a página, oferece ao seu companheiro de viagem - o leitor, o ouvinte - o enredamento caloroso da intimidade das palavras.

O poeta é a antena da raça, o receptor das aspirações alheias.

A palavra ou a imagem na poesia é simbólica. Ela representa muito mais que o seu significado imediato e óbvio. A intenção da poesia não é transmitir discursos que evitem falar da dúvida, do incerto ou do subjetivo. O objetivo fundamental da poesia é transmitir esse "algo mais" que ultrapassa o racional e o consciente, é estimular a criação, é fisgar a reflexão e o pensamento.

Jesus foi e é um grande poeta, um grande educador, o Mestre dos Mestres. Sua intenção, quando falava por parábolas em linguagem figurada e metáforas, era fisgar o pensamento de cada um, induzir a análise, a criação e a reflexão das pessoas. Era estimular o sentimento, sair do contexto e de ideologias racionais e óbvias que evitem a dúvida, o incerto e o subjetivo.

É preciso que aprendamos a incorporar a poesia a nossa própria vida, as nossas relações, ao nosso cotidiano.

Ser poeta não é só escrever versos. É desenvolver dentro de cada um de nós uma postura menos individualista, egoísta e competitiva perante as coisas e as pessoas.

Que possamos aprender a nos tornar poetas: Poetas da vida.

Que aprendamos a libertar a vontade, a inteligência e o sentimento, ainda latente em nós. 

Almir Paes o Cronista da Alma
Almir Paes
O Cronista da Alma




Para ler outros textos de Almir Paes, basta clicar aqui!