quinta-feira, 18 de julho de 2019

Entrevista com Cintia Cavalcante

Cintia Cavalcante no Blog EspiritualMente
Cintia Cavalcante

Nascida em Manaus/AM, Cintia é terapeuta, palestrante e instrutora de meditação.

Trabalhou como jornalista de rádio e TV no Brasil até se mudar para Munique (Alemanha), onde morou de 2000 à 2003. Logo em seguida, transferiu-se para San Francisco, na Califórnia (EUA), permanecendo por 14 anos. Atualmente reside na cidade de Fort Lauderdale no sul da Flórida (EUA).

Acreditando na transformação do ser humano através do desenvolvimento espiritual, Cintia também tem formação em Psicologia Positiva, Hipnoterapia e Magnetismo/Mesmerismo. É mediadora de grupos, conduzindo alguns programas para suporte emocional em organizações não-governamentais sem fins lucrativos.

Cintia está casada há 8 anos e faz parte da Broward Spiritist Society em Pompano Beach, Flórida.


Contato:

YouTube channel: https://www.youtube.com/c/CintiaCava

Email: cintxa@gmail.com 


*            *            *

EspiritualMente - Como o Espiritismo chegou em sua vida?

Cintia - Católica desde a infância, minha mãe já me ensinava a importância da religiosidade com a igreja/comunidade onde vivíamos. Numa viagem ao Rio de Janeiro aos 16 anos, ganhei de presente "O Livro dos Espíritos" de um primo que eu tinha conhecido pela primeira vez. Continuei católica por mais 4 anos, sempre ativa e participante, e, nesse período, estudei Kardec com muito interesse. Quando lia aquelas páginas, eu falava assim com o livro, como se tivesse conversando com o próprio Kardec: "Eu já sei disso! Você só está confirmando o que eu já acredito!". Depois de estudar Kardec por 4 anos, conversei com o padre e contei que sairia da igreja e iria para o Espiritismo porque achava que este respondia as minhas perguntas que a igreja não respondia. O padre compreendeu. Desde então, nunca mais parei de estudar e trabalhar no movimento espírita. 


EspiritualMente - Você já participou do movimento espírita no Brasil, na Europa e atualmente nos EUA. Quais as principais diferenças do Espiritismo brasileiro com o de outros países?

Cintia - Observo que os espíritos encarnados no Brasil e na América Latina tem uma necessidade maior de espiritualização, uma sede, uma inquietação por conhecer o espírito, por entrar em contato com sua própria espiritualidade, e isso é marcante. Isso ajuda muito o ser humano e reflete em todas as áreas de sua vida. Quando encontro pessoas com o hábito da oração, da meditação e de estudos espirituais sérios, noto uma diferença grande no magnetismo pessoal dela. Vejo esse interesse pelo desenvolvimento espiritual muito positivo e contagiante. O contrário também é marcante, o materialismo atrai muita angústia, sofrimento e tristeza. Os grupos espíritas do Brasil poderiam colaborar com os trabalhos feitos fora do país, como um intercâmbio de conhecimento e apoio principalmente aos que estão começando. Vejo ainda muita separação. Devemos nos unir nesse trabalho árduo e muito lindo também. Deveríamos criar mais elos entre os centros espíritas do Brasil com o resto do mundo, já que os primeiros estão bem mais avançados e experientes no movimento espírita. Hoje vemos palestrantes espíritas visitando os Estados Unidos mas eles não conhecem a cultura americana. Falam de Espiritismo para brasileiros que moram aqui. E como ficam os irmãos americanos? É preciso haver uma melhora neste sentido, uma troca de conhecimentos. Dois exemplos simples e importantes, que é evitar as palavras "palestra", em inglês "lecture", e "doutrina", em inglês "doctrine", porque soam pesado por aqui. A tradução está correta mas o sentido não. O melhor é substituir "lecture" por "talk" e "doctrine" por "spiritism". São pequenos detalhes que fazem a diferença.


EspiritualMente - De um modo geral, como a população europeia e americana veem o Espiritismo? Como é o grau de interesse pela Doutrina nesses países?

Cintia - Observo o movimento espírita aqui com um número significante de brasileiros que, corajosamente, compartilham o Espiritismo com os americanos, esposas/esposos e filhos também. Os americanos procuram em sites como o "meetup", grupos de atividades espirituais voltados a cura, esse é o primeiro atrativo, já que a única inspiração de grupo de pessoas que buscam entrar em contato com sua espiritualidade (que os americanos tem) são os povos indígenas daqui que sempre cultivaram suas práticas espirituais. Os americanos conheceram o Espiritismo através do médium João de Deus, já que foi apresentado pela muito famosa Oprah Winfrey, e isso fez com que o Espiritismo ficasse conhecido aqui nos Estados Unidos. Já na Europa, vejo o movimento crescente na Espanha, Itália, Portugal e Inglaterra. A Alemanha, Suíça e França estão ainda muito relutantes e céticas por questões históricas e de guerras em nome das religiões. O povo europeu tem uma mentalidade mais pragmática, na minha opinião, não se abrem com facilidade às questões espirituais. Já o americano é mais aberto neste sentido.


EspiritualMente - Nos países considerados de primeiro mundo, onde os indicadores de desenvolvimento social são bem mais elevados do que no Brasil, é mais fácil ou mais difícil ser espírita, ou seja, cultivar e manter valores cristãos e espirituais? Por quê?

Cintia - Estamos em um mundo de provas e de expiações e temos os mesmos dramas emocionais aonde quer que estejamos. Do mais rico ao mais pobre, todos passamos pelos mesmos dramas que tem como fonte o orgulho e o egoísmo. O trabalho é o mesmo, só que diferente. Aqui nos Estados Unidos, a estrutura das organizações de caridade e de voluntariado é a maior do mundo. Os americanos voluntariam muito. É maravilhoso. Já na Europa não. Eles estão tão avançados, economicamente falando, que não entendem porque tem de fazer caridade se eles "pagam todas as suas taxas em dia!", se isso é dever do governo cuidar dos que precisam de ajuda. A mentalidade lá não admite esse tipo de ajuda. Mas existem outras "mil" maneiras de ajudar ao próximo, basta querer. Se um lugar não tem necessidades básicas materiais, vamos para outro nível, como por exemplo o mental, o emocional, o apoio moral etc.


EspiritualMente - Qual a sua opinião sobre o ensino e a prática da meditação realizada em algumas casas espíritas?

Cintia - Enche-me de felicidade saber que a casa espírita oferece ou se interessa pela prática da meditação, já que esta foi apresentada em vários livros espíritas, como por exemplo Nosso Lar (pelo Espírito André Luiz e psicografia de Chico Xavier). Atualmente, todos os benefícios da meditação estão muito bem estudados e documentados pela Neurociência, dando a confirmação que o Espiritismo nos trouxe. É simplesmente maravilhoso para todos nós a meditação e tenho a felicidade de compartilhar que sou instrutora de meditação do Broward Spiritist Society aqui em Pompano Beach no sul da Flórida, gratuitamente aberto para o público em geral, todas as terças-feiras às 19h, utilizando várias técnicas de respiração, mindfulness e visualizações, baseados em estudos científicos. Meditar em grupo na casa espírita é uma experiência especial. Meu sonho é que mais e mais centros possam adotar essa prática que muito nos ajuda física, mental e emocionalmente.


EspiritualMente - Sendo uma brasileira residindo no exterior há muito tempo, como você avalia o nosso país em meio a tantas crises, problemas e crescimento da violência? O Brasil ainda é o "coração do mundo, a pátria do Evangelho", conforme definição do espírito Humberto de Campos?

Cintia - Vejo crises por todos os lados e também vejo muitas pessoas com projetos incríveis trabalhando por um planeta melhor. Não acho o Brasil o único país a passar por crises de violência e nem o pior. Vejo que todos estão passando por adversidades, conflitos e aflições de maneiras diferentes. Onde aparentemente não tem problemas materiais e sociais, o sofrimento é mental e emocional. Por exemplo, aqui onde moro no sul da Flórida, é o maior mercado de clínicas de reabilitação do país. Aqui se diz, em uma linguagem exagerada, "é uma clínica por quarteirão", ou seja, uma maneira de expressar o número exorbitante. No entanto, a Flórida é o destino de férias de milhões de pessoas anualmente, cheia de praias paradisíacas, temperatura anual invejada pelo país inteiro. Mas o problema das drogas em vários níveis é muito triste. E isso também está acontecendo no mundo inteiro. Até em áreas de baixo poder econômico como Manaus, minha terra natal, as famílias sofrem muito com as drogas lá também. A literatura espírita desde 1857 vem nos alertando para todas as tendências do tipo de espírito que reencarna aqui no planeta, sendo assim, não fazemos parte do grupo dos desavisados. Minha motivação pessoal é "continua a estudar, trabalhar e servir é necessário para que o escândalo venha".  Mas não foi exatamente pra isso que viemos aqui? Para transformar o que nós mesmos fizemos? Tenho certeza que passaremos por tudo isso e acredito que sim, que o povo brasileiro tem o coração lindo e tem um grande potencial de ser o coração do mundo e pátria dos ensinamentos do Cristo sim.


EspiritualMente - Você tem algum objetivo ou projeto a ser alcançado no meio espírita?

Cintia - Sim. Através do trabalho, quero inspirar e incentivar todos a se conhecerem e a se amarem como espíritos imortais, em níveis profundos de auto-conhecimento, com enfoque na evolução pessoal de cada um.


EspiritualMente - Que mensagem final você deixa aos nossos visitantes e seguidores?

Cintia - Que não fiquem de fora só "observando o trem passar". Façam parte de algum projeto que vocês acreditam e os motivem! Busquem uma casa espírita que ofereça a vocês ferramentas de auto-crescimento. Digam "não" a inércia! Aproveitem a oportunidade única e especial que é essa atual encarnação. Não tenham medo de viver, Jesus estará conosco até o fim!


*            *            *

Agradecemos a Cintia Cavalcante pela atenção e gentileza em ter concedido esta bela entrevista!





6 comentários:

  1. De fato há muita veracidade no que diz a irmâ Cintia. Conheço alguns colegas espíritas que moram e moraram nos EUA e haviam me falado no fato. Nas cidades pequenas é ainda um culto evangélico o dominante, seja em diversas variações. Na Europa onde mora minha filha há cerca de 10 anos e tem cidadania inglesa, é um pouco diferente, mais ligada ao processo espiritualista de natureza científica e prática. Meu irmão, o médico e escritor espírita, Ricardo Di Bernardi, tem feito palestras na Inglaterra, Portugal, Austrália e Nova Zelândia sobre os aspectos espíritas, mas ligando um pouco mais nas questões espíritas de natureza científica, visto ser mais do interesse daquelas regiões. Centros espíritas poucos, muitos em pequenos locais e de funcionamento particular, pois até em Portugal no período ditatorial os bens foram tomados das casas espíritas. Hoje já é muito mais desenvolvido, com atividades mediúnicas constantes e bastante palestras em alguns locais. Na Inglaterra, a curiosidade que chegou a fazer a palestra em uma loja, onde depois do expediente Fazem cursos sobre desenvolvimento mediúnico, desprendimento,etc em locais com certificado válido, inclusive. É realmente muito diferente.

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo Manoel, Prezada Dra. Cíntia:

    E não é milenar o aforismo que claramente sentencia: “conheça-te a Ti mesmo”?

    Ora, o Homem acha que pensa pelo cérebro, que se emociona pelo coração, mas Tudo do nosso mundo mental, e emocional, está, de fato, no Espírito, que, tão-só, por agora, principiamos conhecer.

    E, óbvio, pelo menos para mim, que pela meditação, pessoal ou grupal, estaremos nos voltando para dentro de nós mesmos e constatando que o interior é mais importante que o exterior, que o Espírito é Tudo e a matéria nada é, senão ilusão dos nossos sentidos ainda viciados na exterioridade e não na interioridade, no Ser principal: o Espírito palingenésico, e, por conseguinte, imortal.

    Grato ao sábio amigo Manoel.

    E muito mais grato, ainda, à doutora Cíntia, por nos presentear com temas tão importantes para o nosso cotidiano, o dia-a-dia de nossos dilemas, nossas posturas cambetas que tão-só o conhecimento de nós mesmos, do nosso interior, poderá, de fato, solucionar.

    GRANDE E FORTE ABRAÇO:
    Filosofia do Infinito:
    http://fernandorosembergpatrocinio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante as colocações de nossa irmã. A pergunta se o Brasil ainda é o coração do Mundo e Pátria do Evangelho, merece uma meditação especial. No entendimento vulgar espera-se que o Brasil tenha um papel destacado como País harmonioso, sendo exemplo para outros Países. No entanto há também um entendimento, com o qual compartilho, de que o Brasil é a Pátria do Evangelho, por acolher vários espíritos que tiveram uma existência equivocada, mormente na Europa, através da reencarnação em terras brasileiras, onde, tendo contato com a religiosidade do povo daqui, possam redirecionar seus passos no caminho indicado por Jesus, seja através do contato com o espiritismo ou com outras vertentes religiosas que exercitam o trabalho no bem. Assim, a situação tumultuada do Brasil, pode refletir esse processo de acolhimento reencarnatório de irmãos de outras paragens terrestres. Apesar da corrupção nos mais diversos setores da sociedade e outras tantas manifestações do egoísmo, resultando em inúmeros processos oriundos do desentendimento humano, continuamos com um elevado sentimento religioso, manifesto em campanhas populares de ajuda aos necessitados. Conseguimos, enfim, mantermos um padrão vibratório num ambiente um tanto tumultuoso.

    ResponderExcluir
  4. Perdoe-me, não me identifiquei: JOB ALVES DOS SANTOS - Belo Horizonte - MG

    ResponderExcluir
  5. Estao todos de PARABENS pelo trabalho maravihoso, somos afortunados de termos Cynthia pertinho de nos e felizes de ver seus conhecimentos sendo levados ao mundo. Peruntas muito bem formuladas e um conteudo muito rico. Muito paz e amor a todos.

    ResponderExcluir
  6. As perguntas realmente estão desafiadoras, é uma felicidade poder de alguma forma trabalhar. Continuemos trabalhando, abraços a todos

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!