quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Nada é para sempre

Texto de Almir Paes no Blog EspiritualMente

A dialética da vida nos direciona para mudanças: mudanças de rumos, de endereços, de ideias, de destinos, de amigos, de projetos de vida...

Quando há uma longa convivência com alguém, nós pensamos que vamos ficar ao lado dele(a) por toda a vida.

Ledo engano.

Ou a pessoa vai embora por vontade própria ou muda do plano físico para o espiritual. Daí, foi encerrado, temporariamente, mais um ciclo deste convívio material. Iremos nos encontrar, de certo modo, em outras ocasiões, de outras formas. Isso acontece na convivência com os nossos pais, irmãos, amigos, vizinhos e companheiros de um passado longínquo que se perderam nas esquinas do tempo.

É uma lei natural. Tudo que vive, um dia perece.

O segredo é utilizar esse pouco tempo que nos é concedido da melhor forma possível. É fazer de cada minuto uma eternidade, de cada hora uma vida nova.

Ao invés de brigas, muitas vezes por motivos fúteis, é preciso promover estimulantes diálogos onde cada um aprenderá um pouco mais com o outro. Assim, aproveitaremos o tempo de uma maneira mais humana, mais prazerosa, mais afetiva.

Os sorrisos, os abraços, serão mais espontâneos e sem condicionamentos servis.

As divergências serão respeitadas e servirão como catalisadores de mudanças.

A empatia será utilizada e reutilizada durante o decorrer dos tempos.

Aí, quando a centelha da vida nos faltar, nós já teremos vivido em plenitude, em êxtase, em abundância. Nós sentiremos saudades apenas do que realizamos e nunca do que deixamos de fazer.

Portanto, vamos fazer de conta que a dialética não existe: as coisas não mudam, as pessoas não mudam, as ideias não mudam. Elas poderão ser infinitas enquanto durarem em nós este sentimento de poeta, a plenitude de um sonhador!


Almir Paes no Blog EspiritualMente
Almir Paes
O Cronista da Alma




Para ler outros textos de Almir, basta clicar aqui!



2 comentários:

  1. Prezado Almir Paes, Prezado Manoel...

    Adoro suas postagens diferenciadas tratando de tudo: da filosofia, das artes, da moral cristã, e de tudo o mais dos inúmeros colegas de trabalho, profissionais da área médica, psicológica e tudo o mais...

    Vosso site é notável, é dinâmico, completo e total.

    E, como gostaria que o Mundo, a Vida em seu pluralismo, fosse, de fato, como o nosso Almir sonha, ou sonhara, não sei: "... vamos fazer de conta que a dialética não existe: as coisas não mudam, as pessoas não mudam, as ideias não mudam."

    Porém: é o mundo do faz de conta, do poeta que sonha, pois que a vida é mudança, o universo se transforma o tempo todo, somos viajores de uma nave que - pela expansão sideral - nunca, jamais, fizera o mesmo trajeto pelos espaços cósmicos, e, pois, tudo à nossa volta conspira contra o Almir, contra mim, contra você!

    Notemos que neste segundo mesmo que passa, o presente já não mais existe, pois que o próximo segundo nada mais é que o futuro, que, neste instante, se faz presente, e, que, pois, o presente se transmudara para o passado, e, o futuro se torna presente nesta constante mudança de tudo: de mim, de você, de todos nós, e, pois, do Mundo, do Sistema, da Galáxia, das Nebulosas e tudo o mais!

    E notemos ainda que: já não se cogita do Universo, mas sim do Multiverso, do conjunto de Universos, presumindo, pois que, de fato: "Deus há criado sempre, cria incessantemente e jamais deixará de criar" ("AG"-AK), pois o espaço é infinito, e, pois, que se crie pela eternidade afora e jamais se ocupará todos os espaços do espaço, pois que é infinito, tal como Deus é um infinito.

    Mas podemos sonhar que "as coisas não mudam",que "poderão ser infinitas enquanto durarem em nós este sentimento de poeta, a plenitude de um sonhador!"

    GRANDE ABRAÇO:
    JESUS NA ALMA DESTE GRANDE POETA: ALMIR!!!
    Fernando Rosemberg Patrocinio

    ResponderExcluir
  2. Prezado Almir Paes, Prezado Manoel...

    Adoro suas postagens diferenciadas tratando de tudo: da filosofia, das artes, da moral cristã, e de tudo o mais dos inúmeros colegas de trabalho, profissionais da área médica, psicológica e tudo o mais...

    Vosso site é notável, é dinâmico, completo e total.

    E, como gostaria que o Mundo, a Vida em seu pluralismo, fosse, de fato, como o nosso Almir sonha, ou sonhara, não sei: "... vamos fazer de conta que a dialética não existe: as coisas não mudam, as pessoas não mudam, as ideias não mudam."

    Porém: é o mundo do faz de conta, do poeta que sonha, pois que a vida é mudança, o universo se transforma o tempo todo, somos viajores de uma nave que - pela expansão sideral - nunca, jamais, fizera o mesmo trajeto pelos espaços cósmicos, e, pois, tudo à nossa volta conspira contra o Almir, contra mim, contra você!

    Notemos que neste segundo mesmo que passa, o presente já não mais existe, pois que o próximo segundo nada mais é que o futuro, que, neste instante, se faz presente, e, que, pois, o presente se transmudara para o passado, e, o futuro se torna presente nesta constante mudança de tudo: de mim, de você, de todos nós, e, pois, do Mundo, do Sistema, da Galáxia, das Nebulosas e tudo o mais!

    E notemos ainda que: já não se cogita do Universo, mas sim do Multiverso, do conjunto de Universos, presumindo, pois que, de fato: "Deus há criado sempre, cria incessantemente e jamais deixará de criar" ("AG"-AK), pois o espaço é infinito, e, pois, que se crie pela eternidade afora e jamais se ocupará todos os espaços do espaço, pois que é infinito, tal como Deus é um infinito.

    Mas podemos sonhar que "as coisas não mudam",que "poderão ser infinitas enquanto durarem em nós este sentimento de poeta, a plenitude de um sonhador!"

    GRANDE ABRAÇO:
    JESUS NA ALMA DESTE GRANDE POETA: ALMIR!!!
    Fernando Rosemberg Patrocinio

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo comentário!